24/05/2013 às 09h56min - Atualizada em 24/05/2013 às 09h56min

Indústria de beneficiamento de leite funciona sob o SIE e oferece produto de qualidade para a região

Seagri/BA

Fortalecer a cadeia produtiva do leite e proporcionar a oferta de produtos lácteos inspecionados para a população do Sul da Bahia. Estes são os objetivos almejados pela Secretaria de Agricultura (Seagri) e Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), ao inspecionar e acompanhar a implantação da nova usina de beneficiamento de leite, Almada, no município de Coaraci, concretizado pela parceria com a Secretaria de Desenvolvimento e Industrialização Regional (Sedir) e da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (Car). 

“O governo tem investido na infraestrutura e nas oportunidades de crescimento da cadeia do leite, especialmente em incentivos voltados à agricultura familiar”, afirmou o Secretário de Agricultura, Eduardo Salles. A Adab foi responsável pela orientação e aprovação técnica do projeto e credenciamento do laticínio com o selo do Serviço e Inspeção Estadual (S.I.E.) para que esta indústria estivesse em condições de funcionamento, dentro das exigências higiênicas e sanitárias. 

A fábrica tem capacidade de recebimento de 10 mil litros de leite por dia, estando sua planta habilitada para o processamento de leite e derivados. Atualmente são adquiridos 2 mil litros de leite/dia, fornecidos por agricultores familiares, e “a expectativa é que aumente para 5 mil litro/dia produzindo produtos lácteos (leite, manteiga, iogurte) inspecionados”, incentiva o coordenador de Operações Especiais da Adab, Adilson Pinheiro. 

Hoje aproximadamente 52 fornecedores do município e região Sul se adequaram às normas sanitárias preconizadas pela legislação vigente, saindo da clandestinidade, para fornecer a matéria prima dentro dos padrões tecnológicos e higiênicos sanitários exigidos. Segundo o diretor geral da Adab, Paulo Emílio Torres, com a implantação da fábrica, a Agência conseguiu regularizar a atividade com muitos produtores que trabalhavam à margem da ilegalidade, assegurando desse modo, a oferta de produtos com qualidade para o público consumidor. 

Esta indústria atende, principalmente, a demanda existente nos municípios do sul da Bahia, e devido a sua localização estratégica na grande bacia leiteira do Estado, tem como meta a adesão junto ao Sistema Brasileiro de Inspeção, o Sisbi – POA, objetivando a inclusão de novos mercados, com a consequente ampliação da sua capacidade produtiva, cuja expansão resultará no aumento da receita e da geração de empregos e renda. 

Incentivos, Investimentos e Realização 
O governo, através da Sedir / Car, tem incentivado novas indústrias lácteas cujo investimento é da ordem de R$1,2 milhão. O recurso foi utilizado na compra de caminhões, construção civil da indústria, equipamentos, assistência técnica, construção de unidades de recepção e resfriamento da matéria-prima, compra de insumos entre outros pontos necessários para o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva do leite. 

A Cooperativa dos Produtores da Bacia Almara Gomgoji (Coopragi), beneficiada com laticínio, contribuiu na criação de 25 empregos diretos e mais de 160 indiretos no primeiro momento, beneficiando as cooperativas associadas de 8 municípios (Coaraci, Itapitanga, Inema/Ilhéus, Itajuípe, Barro Preto, Ibicaraí, Floresta Azul e Almadina).

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »