03/05/2013 às 09h06min - Atualizada em 03/05/2013 às 09h06min

Rio Grande do Sul garante dois novos investimentos em lácteos

Jornal do Comércio

O Rio Grande do Sul receberá dois novos investimentos no setor de laticínios, que totalizam quase R$ 150 milhões. O governador Tarso Genro assina protocolo de intenções com a Nutrifont e a Lativale. Enquanto a primeira aportará R$ 130 milhões na criação de uma planta em Três de Maio, no Noroeste gaúcho, a segunda destinará 19,8 milhões na ampliação de suas instalações em Estrela, no Vale do Taquari. As empresas receberão benefícios fiscais através dos programas Fundopem e do Integrar.

A Nutrifont, uma joint venture entre BRF e a irlandesa Carbery, vai trabalhar com a produção de derivados do soro do leite. “É a primeira fábrica do Brasil desse gênero. Esse produto é utilizado, principalmente, pelos fabricantes de alimentos infantis e de suplementos alimentares para atletas”, menciona Guilherme Portela, gerente de relações institucionais da BRF. Apesar de ter planos de exportar parte da produção, principalmente para países do Mercosul, os clientes mais assíduos tendem a ser do mercado interno. Isso porque as empresas brasileiras, atualmente, precisam importar a proteína para confeccionar seus artigos.

De acordo com Portela, a companhia deve começar a operar em até um ano. Pelo fato de o processo produtivo da matéria envolver alta tecnologia e ser bastante mecanizado, a empresa empregará pouco mais de 50 pessoas. O Rio Grande do Sul disputou a fábrica com Goiás e Minas Gerais. “Optamos por Três de Maio com o objetivo de estreitar mais as relações com o Estado e também porque o município tem uma importante cadeia de fornecimento de matéria-prima”, aponta o executivo.

A construção da planta da Nutrifont complementa uma série de investimentos que a BRF vem fazendo no município do Noroeste gaúcho. A companhia está montando uma espécie de complexo do leite na cidade, construindo também uma fábrica de leite em pó e outra de derivados de queijos. “O município está vibrando. Esse complexo representa um investimento total que ultrapassa R$ 260 milhões”, comemora o prefeito de Três de Maio, Olívio Casali.

O chefe do Executivo do município projeta um incremento de 15% nas receitas locais, quando o complexo todo estiver em atividade. Hoje, o orçamento anual da localidade de 24 mil habitantes é de R$ 54 milhões. Além disso, serão criados cerca de 300 empregos diretos e outros 1,5 mil indiretos. Como consequência, a produção diária de leite da região deve dobrar. 

Já a Lativale, empresa do grupo mineiro Tangará Foods, aumentará seu foco de atuação, passando a produzir compostos lácteos. A fábrica sediada em Estrela deve contratar 47 novos funcionários. O assessor técnico da Secretaria Estadual de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI) Taylor Guedes afirma que a expansão deve ocorrer por etapas, levando até cinco anos para ser concluída.

Guedes ressalta que a atração dos dois investimentos também pode ser creditada às alterações realizadas em dezembro na legislação do ICMS. “Com a alteração, se passa a conceder crédito presumido para a produção de novos produtos, que é o caso dos compostos lácteos e da proteína fruto do soro do leite”, aponta Guedes, que coordena o programa setorial de lácteos da SDPI. O dirigente aponta que, nas próximas semanas, devem ser divulgadas novas medidas de estímulo ao segmento.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »