26/01/2013 às 14h38min - Atualizada em 26/01/2013 às 14h38min

Programa Minas Leite mobilizou quase seis mil participantes em 2012

Governo de Minas Gerais

O balanço do Programa Minas Leite, em 2012, confirma a importância que o programa ganhou para os principais envolvidos com a modernização da cadeia produtiva de leite no Estado. Os dados apontam, por exemplo, que o programa mobilizou no ano passado, quase seis mil (5.995) participantes, entre eles, produtores rurais familiares, lideranças municipais e técnicos extensionistas. 

Foram realizados 256 eventos, entre dias de campo, seminários, oficinas, palestras, cursos, encontros, reuniões técnicas, torneio leiteiro, feiras e projetos, em várias regiões mineiras. Implantado pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), em 2005, o Programa Minas Leite é executado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do estado de Minas Gerais (Emater-MG), em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e outras instituições públicas e privadas. 

As ações do programa buscam melhorar a qualidade do leite produzido nas propriedades, por meio da capacitação contínua de produtores e técnicos, e do incentivo à qualificação técnica dos sistemas de produção e gestão da atividade. “A meta é garantir o aumento da produtividade e da renda do produtor rural, além de uma produção de leite com qualidade, que atenda aos critérios de sustentabilidade”, explica o coordenador técnico de Bovinocultura da Emater-MG, Marcos Meokarem. 

Outro que reforça as palavras do colega é o também coordenador técnico estadual de Bovinocultura da Emater-MG, Feliciano Nogueira. “A empresa enfatiza junto aos produtores, não apenas o registro contábil da atividade, mas o gerenciamento dos recursos existentes na propriedade. Por exemplo, quando o produtor fornece ração concentrada de acordo com o número de animais, ele está fazendo a gestão de um recurso que tem custo para ele. 

O mesmo ocorre quando faz o manejo de pastagem ou uma análise de solo e precisa saber quanto gastar para recuperar a fertilidade do solo”, afirma Feliciano. No documento em que relata as atividades do Minas Leite, no ano passado, Nogueira registra que mais de mil (1.142) propriedade rurais, distribuídas em 351 municípios mineiros, foram cadastradas no programa. A regional com o maior número foi a de Curvelo, com 166 propriedades acompanhadas em 28 municípios. 

Para participar do Minas Leite, os produtores familiares devem procurar uma das unidades da Emater-MG, onde terão acesso a um conjunto de práticas que possibilitam o aumento da produção, como a utilização de recursos gerados na propriedade, cuidados com a saúde dos animais, melhoramento genético do rebanho, adequação da alimentação e reserva dela para o período de seca, além do planejamento do manejo de pastagem, como, por exemplo, a utilização de piquetes rotacionados, sombreamento e manejo de dejetos, entre outros. 

De acordo com a metodologia proposta pelo programa, são previstas visitas mensais dos extensionistas às propriedades cadastradas no sistema informatizado. Essas mesmas propriedades tornam-se referência para outras fazendas próximas, sediando cursos, dias de campo e outros eventos, segundo o Feliciano. 

“São unidades de experimentação para validação de tecnologias adequadas aos sistemas de produção, tendo o conhecimento prévio do produtor, respeitando seu ritmo e capacidades financeira e operacional”, informa. Feliciano acrescenta que o custeio da atividade de assistência técnica do programa é mantido pela Emater-MG, como, por exemplo, no caso das capacitações em 2012 de 144 extensionistas locais e 12 coordenadores técnicos regionais, por meio de recursos de convênio com o Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), no valor de R$ 113 mil. 

Estado lidera produção de leite 
Tanto zelo com o Minas Leite, também conhecido como Programa Estadual da Cadeia Produtiva do Leite, é mais que justificado, afinal Minas Gerais é considerado o maior produtor de leite do país. A produção mineira chega a 8,7 bilhões de litros, segundo dados da Pesquisa Pecuária Municipal de 2011 do IBGE. O quantitativo representa 27,3% do total de 32,1 bilhões de litros produzidos no Brasil. 

O Estado possui também o maior rebanho de vacas ordenhadas, com 5,6 milhões de cabeças. No país, o rebanho de vacas ordenhadas é de 23,22 milhões. Outro dado que confirma a importância da atividade leiteira no Estado, conforme levantamento do IBGE de 2009, trabalhados pela Embrapa Gado de Leite, é a produtividade expressa em litros de leite/vaca/ano. Em Minas, essa produtividade é de 1.502 litros/vaca, sendo 15,8% superior à brasileira, que é de 1.297 litros/vaca.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »