29/09/2012 às 14h19min - Atualizada em 29/09/2012 às 14h19min

Famato busca parcerias para desenvolver cadeia do leite em 2013

Sistema Famato

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MT) têm conversado sobre alguns projetos com o objetivo de melhorar a assistência técnica aos pequenos produtores de leite de Mato Grosso para o próximo ano. 

O Diagnóstico da Cadeia Produtiva do Leite de Mato Grosso, realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), identificou que 83% dos produtores de leite do estado não receberam nenhum tipo de assistência em 2011. Além disso, 92% destes produtores são considerados de pequeno porte, com produção diária de até 200 litros de leite. 

Em Mato Grosso existem 20,9 mil propriedades leiteiras que produzem em média de 92,6 litros de leite por dia. Este estudo, encomendado pela Famato, mostrou também que o estado responde por 2,3% da produção nacional de leite, ocupando a 10ª posição no ranking brasileiro. 

A Federação acredita no potencial da cadeia produtiva do leite de se tornar o maior produtor de leite do país nos próximos 10 anos. Mas, para isso, é fundamental investir em tecnologia e capacitação da mão de obra. "Procuramos o Sebrae-MT que já tem um trabalho neste sentido. Será um grande parceiro da Famato no desenvolvimento da cadeia produtiva do leite no estado. Disso não temos dúvida. 

Nos últimos 3 anos, o Sebrae-MT, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), executa o programa Balde Cheio, que auxilia os pequenos produtores a melhorar sua produção", diz Rui Prado, presidente da Famato. 

O projeto Balde Cheio é desenvolvido em 190 propriedades de Mato Grosso, em 24 municípios divididos em 5 regiões &150; Norte Araguaia, Médio Araguaia, Baixada Cuiabana, Portal do Amazonas, Vale do São Lourenço, onde está localizado Campo Verde.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »