06/08/2012 às 13h10min - Atualizada em 06/08/2012 às 13h10min

Programa Mais Leite destaca produção de leite com qualidade

CNA

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina - Faesc encerra mais um módulo técnico do Programa Mais Leite no município de Videira, em Santa Catarina. De acordo com o vice-presidente da Faesc, Nelton Rogério de Souza, 100% dos participantes fizeram melhorias na propriedade. "Todos fizeram pastagens perenes e de inverno. 

Boa parte fez subdivisão em piquetes para adotar o pastejo rotativo e quase todos construíram bezerreiros para melhor criar as bezerras e, assim, obter boas novilhas", contou. 

Grande parte construiu ou melhorou as salas de ordenha, adotando a cartilha das boas práticas para melhorar a qualidade do leite. Assim, obterão melhor remuneração pelo produto entregue às agroindústrias que premiam a qualidade. 

Dois produtores conseguiram adotar a irrigação nas pastagens. Os criadores aumentaram a produtividade e a quantidade total de leite entregue. O instrutor do Senar/SC, Fernando da Silveira, responsável pela administração do curso, foi muito elogiado pelos participantes. 


PROGRAMA MAIS LEITE 

Para otimizar a atividade leiteira foi lançado em 2010 o Programa Mais Leite. Uma iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC), órgão vinculado à Faesc. O programa busca a qualificação na bovinocultura de leite e seu objetivo é capacitar os produtores rurais na produção de leite com qualidade.

O programa abrange o planejamento e gerenciamento da propriedade leiteira, implantação e manejo de pastagens, ordenha e qualidade do leite, cerca elétrica e reservas estratégicas de alimentos, manejo de bezerras e novilhas, manejo intensivo de pastagens e irrigação (lotação, medição de pasto, adubação), manejo de vacas e melhoramento genético, alimentação e implantação e manejo de pastagens de inverno e sanidade animal. Ao final do programa, são apresentados e avaliados os resultados da atividade na propriedade. 


IDADE 

Podem participar do programa os produtores de leite ou trabalhadores rurais, com idade mínima de 18 anos, que tenham a produção de leite como principal atividade econômica, sejam alfabetizados e saibam as quatro operações básicas matemáticas. Souza ainda ressalta que os participantes devem ter vontade de melhorar a propriedade, se comprometer em participar e cumprir todas as atividades do programa, além de ter disponibilidade em realizar todos os registros técnicos e financeiros. 

O programa conta com 11 módulos de 6 horas de duração cada, divididos em momentos teóricos, práticos e acompanhamento nas propriedades dos participantes. As atividades práticas são realizadas na propriedade demonstrativa e dos treinandos. O número de participantes em cada turma será de 20 a 25 pessoas (no máximo dois por propriedade) e poderá envolver entre 10 a 15 propriedades, sendo uma propriedade demonstrativa. 

O Senar/SC custeia todas as despesas, instrutoria, materiais instrucionais e alimentação nos encontros. Os participantes que obtêm no mínimo 80% de frequência recebem certificados.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »