05/06/2012 às 10h54min - Atualizada em 05/06/2012 às 10h54min

MS: produtores já podem se cadastrar no Leite Forte

Governo do Mato Grosso do Sul

Com o lançamento do Projeto de Desenvolvimento da Bacia Leiteira na Região Central de MS (Leite Forte) na manhã de ontem (4), os produtores rurais dos 17 municípios contemplados nesta primeira etapa podem procurar à partir do próximo dia 20 a prefeitura, Sindicato Rural ou Agraer de seu município para realizar o pré-cadastro junto ao Leite Forte. 

Posteriormente a esta etapa, estes serão contatados pela coordenação do projeto para dar início aos trabalhos. A meta é qualificar 1.500 produtores ao longo de três anos e posteriormente assist-los com assistência técnica e gerencial. 

“Com a inserção de todos os parceiros neste processo, queremos que o pequeno produtor tenha mais produção e rentabilidade, saindo de uma produção estagnada de 2,7 litros para médias de 25 a 30 litros/animal/dia, induzindo o conhecimento. E que não fiquemos olhando para trás. Mato Grosso do Sul tem gente com esta qualidade”, reconheceu o governador André Puccinelli durante a solenidade. 

Para o secretário de Irrigação do Ministério da Integração Nacional, Ramon Rodrigues, “esse é um programa modelo em muitos aspectos, principalmente, num momento em que o mundo inteiro tem que duplicar a sua produção de alimentos para que todos sejam alimentados até 2050. E isso só será possível se aumentarmos a produtividade. Mato Grosso do Sul tem a oportunidade de produzir mais e com mais qualidade”, lembrou Ramon, anunciando a parceria do Ministério para a distribuição de 500 kits de irrigação no âmbito do Leite Forte, contra partida que soma R$ 5 milhões. 

“Esse é um programa muito importante para os pequenos produtores que vivem exclusivamente do leite, com muito pouco retorno. Vamos gerar mais renda e garantir mais dignidade a essa parcela da população. Temos uma das mais baixas produções do País contrapondo com as grandes indústrias que estão se instalando aqui. Temos certeza que com esse projeto Mato Grosso do Sul vai começar a aparecer no mapa de produção de leite do País. Daqui a um ano, certamente estaremos comemorando o incremento na produção”, almeja a secretária Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (Seprotur), reforçando que a equipe de coordenação do Projeto – técnicos da Seprotur – já estão empenhados para a etapa de cadastramento dos produtores. 

Também parceiro do projeto, o presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiems), Sérgio Longen, considerou este o primeiro passo. “Estamos unidos, buscando um caminho para a produção de leite no nosso Estado. Vamos trabalhar na capacitação desse pessoal, porque acreditamos que esse é o caminho para esse mercado se tornar competitivo”, frisou ele. 

Representando os municípios parceiros do Leite Forte, o prefeito de Terenos, Beto Pereira, ratificou que a iniciativa é para fortalecer toda a cadeia produtiva. “Governar é escolher prioridades e hoje o que estamos vendo é essa escolha. Precisamos sim desse planejamento e reconhecimento. Com esse projeto o governo estadual demonstra que está decidido a fortalecer toda a cadeia produtiva do leite. O que estamos vendo é simples, e ao mesmo tempo complexo, por que estamos juntando ações municipais, estadual e federal. Todas as indústrias, produtores e movimentos sociais estão unidos com o mesmo intuito, que é o de alcançar a produtividade plena da indústria”, discursou o prefeito. 

O senador Moka ressaltou: “Temos que crescer com qualidade, melhorando a qualidade de vida das pessoas que produzem e esse é um projeto que vai fazer isso”. 

Os municípios envolvidos na primeira etapa do Leite Forte são: Anastácio, Aquidauana, Bandeirantes, Camapuã, Campo Grande, Corguinho, Dois Irmãos do Buriti, Jaraguari, Nova Alvorada do Sul, Nioaque, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Rio Negro, Rochedo, São Gabriel do Oeste, Sidrolândia e Terenos. Com a consolidação desta etapa, a meta é estender o projeto aos demais municípios do Estado. 

Parceiros 
A iniciativa é uma parceria do governo do Estado, por meio da Seprotur, e somam-se as seguintes instituições/entidades: Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite, Agraer, Iagro, AEM, Junta Comercial, Cedrs, Ceasa, Secretaria de Estado de Educação, Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social, Secretaria de Estado de Meio Ambiente/Instituto de Meio Ambiente de MS, Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos, Assomasul, Famasul/Funar/Senar, Sebrae-MS, Fiems/Senai, Fetagri, FAF, CUT, MST, Ministério da Agricultura/Embrapa/OCB-MS, Ministério do Desenvolvimento Agrário/Incra, Ministério da Integração Nacional/Sudeco, Ministério do Desenvolvimento Social, Uems, BNDES, Banco do Brasil, Fundação BB, Sicredi e Uniderp.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »