09/04/2012 às 09h44min - Atualizada em 09/04/2012 às 09h44min

Produtividade de leite na agricultura familiar é mais que o dobro da média nacional

Governo de Alagoas

A produtividade de leite das vacas dos agricultores familiares alagoanos, atendidos pelo projeto Balde Cheio, chega a 9,87 litros por dia. O valor é mais que o dobro da média nacional, que é de 3,78 litros de leite por vaca, por dia, segundo dados Embrapa Gado de Leite. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri), que coordena o Balde Cheio, 460 agricultores familiares são atendidos pelo projeto desde 2011. Esses produtores estão no Agreste, Baixo São Francisco, Médio Sertão, Alto Sertão e, principalmente, na Bacia Leiteira. Em geral, eles criam vacas mestiças de Holandês e da raça Girolando. 

“Eles recebem assistência técnica específica, capacitação, orientação na produção de forragens, manejo dos animais, higiene na ordenha e gestão da unidade produtiva”, explicou o engenheiro agrônomo Renato Carvalho, que é gestor do Programa Alagoas Mais Leite, ao qual o Balde Cheio está vinculado. 

Segundo ele, além do manejo correto e da orientação, outro fator que colabora para a grande produtividade de leite dos animais de criadores alagoanos é a genética. “A cidade de Batalha já foi um grande centro de difusão de genética, com realização de inseminação artificial, e isso é resultado ainda dessa época. 

Os animais do pequeno criador possuem essa característica natural para boa produtividade de leite”, comentou Renato Carvalho. “Nos últimos anos, com as ações do Programa Alagoas Mais Leite, que inclusive realiza cursos de inseminação artificial em Batalha, estamos retomando o fortalecimento do setor”, completou. 

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário, Jorge Dantas, por determinação do governador Teotonio Vilela, a pecuária de leite está recebendo uma série de ações para se tornar sustentável e garantir renda ao produtor familiar. “Já está comprovado que a pecuária leiteira é a atividade que mais gera renda para o agricultor familiar, por isso ela está sendo apoiada com ações que dão resultado, que melhoram a vida de milhares de famílias”, destacou o secretário. 

Jorge Dantas também lembrou que, pelo Alagoas Mais Leite, as comunidades - em que a produção de leite é uma vocação - estão recebendo tanques de resfriamento de leite. Três caminhões com tanque isotérmico já foram entregues e há ainda o repasse de máquinas forrageiras, usadas no preparo do alimento do gado, kits de ordenha manual higiênica e kits de inseminação artificial. 

Em Alagoas, as ações do projeto Balde Cheio, cuja metodologia foi desenvolvida pela Embrapa, recebem o apoio do Sebrae/AL, das cooperativas de produtores e da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), que está fazendo um diagnóstico da cadeia produtiva.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »