20/03/2012 às 08h58min - Atualizada em 20/03/2012 às 08h58min

Appa quer ampliar projeto social de Usina de Leite

Governo do Paraná

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) quer ampliar o projeto de produção e distribuição de leite para entidades assistenciais. 

Reativada em 2011 depois de dois anos de paralisação, a Usina de Leite mantida pela Appa entregou, no segundo semestre do ano passado, 40 mil pacotes de 250 mililitros (ml) de leite de soja para 17 entidades que atendem famílias carentes em Paranaguá. O projeto atende mensalmente 2.400 pessoas, que recebem o leite de soja para complementação alimentar. 

“Esta é uma das ações sociais mais importantes que o porto mantém para contribuir com a comunidade na qual nossas atividades estão inseridas. Estamos buscando novos parceiros para modernizar os equipamentos e expandir o projeto, de forma a atender mais pessoas”, afirma o superintendente da Appa, Airton Maron. 

O projeto da Usina de Leite foi retomado pela Appa em julho de 2011 e conta com a parceria das empresas Pasa, Sal Diana, Tibagi, Marcon, Grano, América Latina Logística (ALL) e a Associação dos Operadores Portuários do Corredor de Exportação (AOCEP), que doam os insumos para produção do leite. A capacidade atual do equipamento é de 750 litros por semana (3000 pacotes de 250 mililitros). 

O leite de soja é um alimento muito rico em proteínas e representa um reforço importante na alimentação de centenas de crianças. Cada pacote de leite de soja produzido pela usina repõe em até 30% das necessidades diárias de proteína de crianças e adultos. Além de auxiliar na prevenção de doenças e ajudar a combater a desnutrição, o projeto é uma alternativa de baixo custo para famílias com crianças que sofrem de alergia à lactose. 

“Este leite é um complemento alimentar importante, entregue para famílias muito carentes, que muitas vezes não conseguem ter uma boa refeição todos os dias”, afirma a irmã Fernanda Mustachetti, que coordena o Instituto Palazollo, entidade que mantém centros de pastoral na Vila São Carlos, no "Morro da Cocada", na Vila do Povo e no Jardim Esperança. 


PANIFICAÇÃO 

Para aproveitar o resíduo de soja resultante da produção do leite, está em fase de conclusão um projeto de panificação, informa a coordenadora da Usina de Leite, Gizele Abilhôa. “Estamos preparando oficinas em conjunto com as entidades beneficiadas para ensinar as mães a produzir pães, bolos, biscoitos e outros produtos alimentícios com esta farinha, para enriquecer ainda mais alimentação da família”, afirma Gizele.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »