12/12/2011 às 16h12min - Atualizada em 12/12/2011 às 16h12min

Produção de leite de cabra beneficia agricultores familiares de Alagoas

A criação de cabras no sertão de Alagoas sempre foi vista como oportunidade para geração de renda e um meio de sobrevivência para as famílias de agricultores. O animal é resistente às condições ambientais do sertão e fonte de leite.

A tradição em criar cabras continua, mas com alguns incrementos. Hoje, além de produzir o leite, já é possível beneficiar e produzir achocolatado e iogurte. É o que acontece no Assentamento Selma Bandeira, na zona rural dos municípios de São José da Tapera e Pão de Açúcar.

É lá onde vive o agricultor Aldenir Lima Silva, que possui um rebanho de 15 cabras. A produção chega a 30 litros, que ele leva para o Laticínio Agroindustrial Selma Bandeira e Mocambo.

A criação de cabras deu autonomia ao agricultor, que hoje é dono do próprio negócio. Segundo ele, a renda obtida apenas com a venda do leite para o laticínio ultrapassa R$ 1 mil por mês. Além de Aldenir, outros 16 agricultores fornecem leite para o laticínio.

Aldenir também cria algumas vacas de leite e planta milho, feijão e algodão com sementes que recebe todos os anos do governo do Estado, por meio da Secretaria de Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri). Ele também é acompanhado por técnicos extensionistas da Seagri, que dão orientações sobre o manejo dos animais, inscrição em programas e acesso a políticas públicas.

A produção mensal de achocolatado com leite de cabra no Laticínio Agroindustrial chega a 2,5 mil litros, e é totalmente adquirida pela Prefeitura de São José da Tapera para inclusão na merenda de 13 escolas e oito creches. De acordo com o secretário municipal de Agricultura, Francisco Pereira, 1.600 alunos consomem o leite todos os dias, além de 600 crianças atendidas pelas creches.

SEAGRI AL - Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Agrário de Alagoas


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »