20/11/2011 às 15h32min - Atualizada em 20/11/2011 às 15h32min

Inovação pode aumentar a produtividade no agronegócio

Agência Sebrae de Notícias

Inovação, sustentabilidade e qualidade de gestão foram os temas centrais do Painel Inovação no Agronegócio, realizado durante o Fórum Sebrae de Conhecimento, em Brasília. O moderador do painel e gerente de agronegócio do Sebrae no Mato Grosso do Sul, Marcus Rodrigo de Faria, falou sobre a importância do setor para o país, ressaltando que não só a indústria traz o desenvolvimento. 

“Temos mais de cinco milhões de agricultores familiares. Nosso desafio é levar a eles inovação e tecnologia social, que é a mola propulsora para que os pequenos aumentem a produtividade e gerem melhoria na renda”, disse. 

Durante palestra, o gerente de Sustentabilidade da Itambé, Mauricio Petenusso, afirmou que para fazer sustentabilidade a empresa precisa estar saudável. Segundo ele, muitos agricultores ainda pensam que o acesso a um modelo de gestão de qualidade é algo caro e disponível apenas para grandes empresas. “O Sebrae tem bons modelos de gestão e acessíveis”, lembrou. Ele destacou ainda que, para ser sustentável, o empreendedor precisa de uma percepção global do negócio, observando as pressões que sofre toda a cadeia produtiva, do fornecedor ao consumidor. 

Já o professor do curso de Design da Universidade do Paraná, Ken Fonseca, explicou que “pensar em design é pensar a empresa como um todo, não é só deixar um produto bonito, mas seduzir também. O consumidor tem que perceber no item que ele compra sua necessidade. Na Europa, os produtos têm alto valor agregado. Lá, existem queijos que vendem em suas embalagens uma emoção, a história de um lugar”. 

Para o engenheiro de alimentos e gerente de Inovação de Gestão e Conhecimentos da Brasil Foods, Frederico Ramazzini, para fazer inovação é preciso muita dedicação e persistência e os resultados vêm a longo prazo. “A inovação é feita por pessoas que têm sentimentos. É preciso trabalhar muito bem com os colaboradores para que todos caminhem para o mesmo lado. Eu sugiro que o Sebrae promova uma troca de informações com grande empresas, como a nossa Brasil Foods, para que possa repassar conhecimento e tecnologia aos micro e pequenos negócios”, concluiu. 

O Painel mostrou ainda a experiência do projeto Caravana Copa Orgânica, vencedor de um edital do Sebrae. O projeto percorreu as 12 cidades que serão sedes da Copa, além de municípios vizinhos, e difundiu informações sobre a produção, o consumo e o desenvolvimento do mercado dos produtos orgânicos, sensibilizando mais de três mil pessoas entre agricultores, técnicos e empresários. 

“A Copa do Mundo vai receber visitantes acostumados a consumirem produtos orgânicos. Por isso, a Caravana mostrou como esse evento vai ser uma ótima oportunidade para a agricultura orgânica”, contou a engenheira agrônoma Priscila Terrazzan, coordenadora do projeto. Segundo ela, durante a Caravana foram discutidos legislação, técnicas e práticas de produção.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »