03/04/2011 às 14h29min - Atualizada em 03/04/2011 às 14h29min

Consultoria tecnológica aprimora qualidade do leite

Agência Sebrae de Notícias

Produtores que fornecem leite a indústrias terão consultoria tecnológica para melhorar a qualidade do produto repassado e aperfeiçoar o manejo reprodutivo do rebanho. 

O Sebrae no Rio Grande do Norte fechou parceria com o Instituto Biossistêmico (IBS), com sede em Piracicaba (SP), para dar suporte tecnológico a criadores de 30 municípios potiguares por meio da Vaca Móvel e do Rufião Móvel, laboratórios itinerantes que percorrem as propriedades levando conhecimento e tecnologia. 

Pelas regras do convênio, a parceria começa neste mês de abril e segue até fevereiro de 2012. Está dividida em vários ciclos. O primeiro começa na próxima segunda-feira (4). Inicialmente, serão contemplados 80 produtores de leite, responsáveis pelo abastecimento de 12 unidades industriais de laticínios e 11 fabricantes de queijos no Rio Grande do Norte. A unidade móvel visitará cada uma dessas propriedades, situadas na Região Metropolitana de Natal, no Agreste, no Alto Oeste, no Seridó e no Sertão Central. 

Na área reprodutiva, as equipes técnicas do IBS vão realizar diagnóstico de gestação com uso de ultrassom em todas as matrizes bovinas de cada uma das propriedades. Além disso, os animais reprodutores serão examinados para identificar possíveis doenças, sobretudo no sêmen, e haverá análise do comportamento sexual do animal. O objetivo é aprimorar a reprodução do rebanho. 

Agilidade 
Os consultores vão monitorar a qualidade do leite obtido nas propriedades assistidas pelo programa. Os técnicos levarão em conta diversos parâmetros que definem a boa qualidade do leite, como a estabilidade térmica, grau de acidez e densidade. A temperatura será observada, já que as condições ambientais podem ser determinantes para o desenvolvimento de bactérias. A equipe ainda fará pesquisas para identificar possíveis fraudes e adulterações substâncias. 

A vantagem dessa visita in loco com uma estrutura laboratorial é a agilidade no resultados das amostras. Um exame de qualidade do leite demora cerca de 15 dias para chegar às mãos do produtor. Com a Vaca Móvel, o resultado pode ser emitido em apenas 20 minutos. 

De acordo com o gestor do projeto de Leite e Derivados do Sebrae no Rio Grande no Norte, Acácio Brito, o programa refletirá diretamente no aumento da produção, já que uma das atuações será no aumento reprodutivo e, principalmente, na qualidade do leite fornecido para processamento. "Temos o desafio de levar inovação e tecnologia a esses criadores e contamos com o know-how do IBS, que é referência para o setor leiteiro”, observa.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »