03/04/2011 às 14h26min - Atualizada em 03/04/2011 às 14h26min

Alagoas Mais Leite vai beneficiar diretamente mais de mil produtores

Governo de Alagoas

Mel, coco, peixe e agora leite. Esses são os produtos que se pode encontrar na propriedade do agricultor familiar Roque Paz de Farias, no município alagoano de Piaçabuçu, na região do Baixo São Francisco. 

Ele é um dos 26 participantes de uma associação de pequenos produtores de leite criada em janeiro deste ano e que, a partir de agora, recebe apoio do Programa Alagoas Mais Leite. A associação recebeu, por meio de uma permissão de uso, um tanque de resfriamento com capacidade para 2 mil litros de leite. 

“O tanque assegura mais qualidade ao produto, o que é bom para a indústria, para o mercado e para o consumidor final, que sabe que vai consumir um leite com mais qualidade”, frisou o secretário de Estado da Agricultura, Jorge Dantas. 

Seu Roque Paz de Farias, que mora num assentamento do Programa de Crédito Fundiário, esteve na Pindorama, em Coruripe, onde o governador Teotonio Vilela fez a entrega de dois tanques de resfriamento de leite – um para Piaçabuçu e outro para Igreja Nova – e de um caminhão com tanque isotérmico de capacidade para 8 mil litros de leite, que será usado para recolher o produto das associações e levar até a cooperativa Pindorama para beneficiamento. 

Ele contou que tem 5 vacas e cada uma delas produz, por dia, cerca de 15 litros. “Até aqui tá dando certo, mas nós temos que crescer”, afirmou, ressaltando seu otimismo com a nova atividade, a pecuária de leite, cuja renda está ajudando no orçamento da família. 

Fortalecimento 
Assim como seu Roque, mais de mil pequenos produtores de leite estão sendo incentivados e organizados por meio das ações do Programa Alagoas Mais Leite, criado pelo governo do Estado para fortalecer a pecuária leiteira. 

O programa tem quatro linhas de atuação principais: gestão da unidade produtiva, qualidade do leite, melhoramento genético dos animais e nutrição animal. Aliado a isso, os criadores recebem assistência técnica e capacitação nos moldes do Programa Balde Cheio, da Embrapa. 

“A principal área de atuação do Alagoas Mais Leite é a região da Bacia Leiteira, onde há o maior número de produtores envolvidos com a atividade, mas outras áreas do Estado foram identificadas como potenciais, por isso estamos garantindo apoio, seja por meio de tanques de resfriamento, seja com forrageiras ou com orientação técnica”, frisou o secretário de Estado da Agricultura, Jorge Dantas. 

“O desenvolvimento de Alagoas só se completa com a participação dos pequenos produtores”, lembrou o governador Teotonio Vilela, durante a entrega dos equipamentos, na Pindorama. 

Como funciona 
Em cada módulo do Programa Alagoas Mais Leite são atendidos 20 produtores, que recebem, por meio de uma permissão de uso, um tanque de resfriamento de leite, máquinas forrageiras para preparo do alimento do gado, um kit de inseminação artificial, um kit de análise do leite e acompanhamento técnico. 

“Esses produtores são organizados de modo a formar uma associação, a calcular os custos da produção de leite, a formação do preço do produto, a higiene da ordenha. O objetivo é que eles se tornem fornecedores do Programa do Leite – o PAA Leite – para que, assim, tenham compra garantida e preço justo”, explicou o superintendente de Desenvolvimento Agropecuário Edson Maruta, da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri). 

Segundo Edson Maruta, já foram beneficiadas com módulos do Programa Alagoas Mais Leite várias associações de pequenos produtores, mas ainda há outros equipamentos a serem entregues, como tanques de resfriamento. “Antes das entregas e depois delas, nossos técnicos fazem um trabalho de sensibilização desses criadores, que aprendem a fazer o melhor uso possível dos equipamentos”, destacou.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »