09/03/2016 às 13h15min - Atualizada em 09/03/2016 às 13h15min

Amazonas quer imunizar mais de 400 mil cabeças de gado contra aftosa até abril

O Brasil é o maior produtor de carne bovina do mundo e também possui o maior rebanho. Mas três estados do país têm um entrave que não deixa a pecuária brasileira se ampliar ainda mais no mercado especialmente em âmbito internacional: Amazonas, Roraima e Amapá têm classificação de risco médio de contaminação da febre aftosa, enquanto todo o resto do país já não se preocupa mais com a doença.

No Amazonas 8% do PIB do Estado já correspondem ao agronegócio. A pecuária se torna então uma grande esperança para o Amazonas. A intenção da campanha de imunização de bovinos em combate à febre aftosa é fazer com que o Amazonas alcance o status de estado livre da doença para ampliar o mercado que, considerando o potencial do Amazonas, ainda é pouco explorado. Como explica o secretário de produção rural do Amazonas, Sidney Leite, “O que precisamos? Mecanizar, corrigir solo e manejo correto como o melhoramento genético. Com isso a gente pode, com o que está posto aí de pasto, nós podemos crescer de 6 a 8 vezes mais”.

A primeira etapa da campanha vai abranger 41 municípios do baixo e médio Amazonas. A expectativa é imunizar 445 mil cabeças de gado de 15 de março até 30 de abril. Pedro Arruda, pecuarista há mais de 15 anos, nunca teve problemas com a febre aftosa pois sempre trabalhou com a prevenção. “Se não tiver venda, o pecuarista não tem lucro né. Então isso é de fundamental importância para saúde animal do rebanho”, comenta.

Os criadores de gado que não colaborarem com a campanha dentro do prazo podem pagar multa de R$ 40,00 por cada bovino não imunizado. A segunda etapa do programa de combate à febre aftosa começa em maio e vai chegar ao sul do Amazonas onde estão concentradas 60% das criações de gado.

Também são destaques do Jornal da Amazônia 1ª Edição desta segunda-feira(14): começa a contar prazo para que membros do Ministério Público decidam sobre cargos no Executivo; órgãos ambientais encerram operação que fiscaliza o período do defeso do Caranguejo Uçá no Maranhão.

O Jornal da Amazônia 1ª Edição vai ao ar, de segunda a sexta-feira, às 7h45, na Rádio Nacional da Amazônia, uma emissora da Empresa Brasil de Comunicação.

Fonte: Jornal da Amazônia


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »