01/03/2015 às 13h43min - Atualizada em 01/03/2015 às 13h43min

Leite: com melhora na qualidade, pecuarista aumenta margem

Jornal Valor Econômico.

Fornecedor de leite da Nestlé na região de Três Rios (RJ), onde a empresa tem uma unidade, o português José Manoel Resende afirma que conseguiu quintuplicar a margem líquida de lucro por litro de leite produzido entre 2012 e 2014.

m 2012, essa margem foi de R$ 0,10 por litro, no ano seguinte de R$ 0,38 e no ano passado, de R$ 0,54 por litro.

Esse desempenho não aconteceu sem uma boa dose de esforço. Desde 2011 ele fornece leite para a companhia. No ano seguinte, comprou ordenha mecânica ­ um dos pré­-requisitos para entrar no programa Boas Práticas na Fazenda.

Para ingressar no programa da Nestlé, teve que implementar ou aperfeiçoar gradualmente uma série de procedimentos que garantem uma produção de leite mais segura e sustentável. São avaliados itens como a alimentação e a sanidade do rebanho, o uso de medicamentos veterinários, a destinação de dejetos, a limpeza e manutenção de equipamentos, o armazenamento do leite em resfriadores e a capacitação dos ordenhadores. O bem-­estar animal e a preservação dos recursos hídricos da propriedade também são avaliados por técnicos em visitas periódicas.

Parâmetros físico-­químicos e composição do leite que definem a qualidade do produto entregue estão entre os itens que determinam a remuneração do pecuarista. Assim, um maior teor dos chamados sólidos (proteína e gordura) e baixa contagem bacteriana total e baixa contagem de células somáticas garantem uma melhor remuneração pelo leite. Esses dados são obtidos por meio de análises feitas pela empresa.

A adesão ao programa permitiu a José Manoel Resende ampliar de forma significativa a produtividade de seu rebanho leiteiro, o que levou ao aumento nas margens. Em 2012, segundo ele, a produção na propriedade era de 108 litros de leite por dia, com 24 a 27 animais em lactação. Em 2013, a produção subiu para 204 litros e em 2014, para 260 litros, sempre com o mesmo número de animais em lactação, afirma.

“O objetivo para este ano é chegar a 400 litros de leite por dia com uma margem líquida de R$ 0,50″, prevê. Ele acrescenta que “à medida que a produção for aumentando, vai reduzindo os custos com mão de obra” de sua propriedade.

Outro indicador que melhorou na propriedade de Resende foi o preço médio recebido pelo litro de leite entre 2012 e 2014 para a companhia suíça. Além da bonificação ­ por atender aos requisitos da Nestlé em relação à qualidade do leite ­, o valor também teve influência das condições do mercado. Saiu de R$ 1,00 por litro em 2012, para R$ 1,19 no ano seguinte e para R$ 1,36 em 2014, de acordo com o pecuarista.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »