08/02/2015 às 10h54min - Atualizada em 08/02/2015 às 10h54min

CASTROLANDA: Usina de Beneficiamento de Leite recebe habilitação para exportar

Imprensa Castrolanda

A Usina de Beneficiamento de Leite (UBL) da Castrolanda localizada em Castro, no Paraná, recebeu no último mês, a habilitação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A Usina de Beneficiamento de Leite (UBL) da Castrolanda localizada em Castro, no Paraná, recebeu no último mês, a habilitação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para exportar os produtos lácteos UHT (bebidas lácteas UHT nos sabores chocolate e morango), lácteos parcialmente desidratados (leite concentrado padronizado e desnatado) e os produtos lácteos crus (leite cru pré-beneficiado integral, semidesnatado e/ou desnatado).

Países - Sob a chancela do SIF-3145, a UBL pode exportar para os seguintes mercados: Estados Unidos, Uruguai, Paraguai, Argentina e para os países da lista geral. Segundo Diego Couto de Lima, Coordenador do Controle de Qualidade, nesta lista geral estão os países que não possuem exigências específicas para exportar. “Esta lista pode ser atualizada sempre que o Ministério da Agricultura firmar parcerias como novos mercados”, disse.

Valor - Para o Superintendente de Operações Lácteas Edmilton Aguiar Lemos a obtenção da habilitação para exportação dos produtos da UBL em Castro, soma aos esforços da Cooperativa em agregar valor à produção dos cooperados através do alcance de novos mercados, sempre com foco na qualidade e excelência. 

“Foi uma grande conquista de nossa cooperativa e de toda a equipe, pois na área de lácteos temos poucas empresas no Brasil habilitadas a exportação. Essa conquista também irá nos propiciar o desenvolvimento de novos produtos que atendam a este fim e viabilizará a entrada de novos clientes para a prestação de serviços, onde temos grande demanda”.

Registro - De acordo com o Coordenador do Controle de Qualidade da UBL, para a indústria conseguir a habilitação para exportação o primeiro passo é obter o Título de Registro. “Este documento é o comprovante que a indústria está registrada no Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal – Dipoa, órgão este do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa, que é responsável pela inspeção nos estabelecimentos que processam alimentos de origem animal. 

Este Título é concedido após verificação de que está se cumprindo com todas as exigências dos dispositivos regulamentares em vigor e também atesta a regularidade sanitária, técnica e legal das instalações e etapas do processo de produção. O Título de Registro foi obtido pela UBL em 28 de novembro de 2013”, explica.

Solicitação - Diego afirma que após esta etapa concluída, parte-se então para a solicitação de Habilitação para exportação. A indústria formaliza junto ao Mapa a intenção de habilitar-se, indicando quais os mercados internacionais deseja manter comércio e também indica quais os produtos pretende comercializar. 

Na sequência o Mapa realiza um rigoroso processo de Auditoria, onde os Fiscais Federais Agropecuários visitam a unidade e verificam diversos pontos da indústria, incluindo todos os Programas de Autocontrole, implantação de normas como Boas Práticas de Fabricação – BPF, Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle – APPCC, também são verificadas as condições das linhas de processo, layout da planta, etc.

Trâmites - “Por fim, obtendo-se o parecer favorável na Auditoria, o processo segue todos os trâmites até o órgão responsável pela emissão das Circulares que formalizam a Habilitação para exportação. Nossa unidade do Paraná conseguiu a Habilitação para Exportação em 30 de dezembro de 2014”, conclui Diego.

Serviços – A Usina de Beneficiamento de Leite além de industrializar produtos da marca própria, Castrolanda e Colônia Holandesa também presta serviços para grandes marcas multinacionais do segmento. 

O Coordenador de Comercialização de Leite, Rogério Marcus Wolf afirma que a habilitação da UBL para exportar amplia os serviços e abre mercado. “A habilitação para exportar nos capacita ainda mais como prestadores de serviços, uma vez que nossos clientes são exportadores. Sendo assim todo o processo de produção tem que ter com a Habilitação de Exportação. Sem contar que futuramente, teremos nós a possibilidade de alcançar o mercado externo”, reforça Wolf.

Exportação – Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em dezembro o Brasil exportou US$34,3 milhões em produtos lácteos. No ano passado o Brasil aumentou seu faturamento com as exportações de lácteos em 254,3% e o vo

lume em 118,0%, na comparação com 2013. Os principais destinos dos produtos lácteos brasileiros foram Venezuela, Angola e Arábia Saudita, respectivamente.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »