15/12/2014 às 08h53min - Atualizada em 15/12/2014 às 08h53min

Balança Comercial de Minas cresce em novembro

FAEMG

Em novembro, o setor foi responsável por 32,54% do total das exportações. As vendas externas cresceram 19%, em comparação com o mesmo mês de 2013, chegando a US$ 667,6 milhões. Por outro lado, as importações diminuíram em valor (15%) e em volume (53%).

Preços internacionais mais favoráveis e conquista de novos mercados contribuíram para o saldo positivo. Os produtos com maior relevância no resultado foram café em grão, carnes, soja (farelo), milho e algodão.

No acumulado do ano, o valor das exportações de café chegou a US$ 3,7 bilhões, um crescimento de 29,2% em relação ao registrado em idêntico período de 2013. O volume embarcado aumentou 12,9%, alcançando 19,3 milhões de sacas.

Na pecuária as vendas internacionais foram positivas e demonstram que o mercado tem confiado nos critérios sanitários e na qualidade dos produtos mineiros. O destaque foi a carne suína. As exportações entre janeiro e novembro somaram US$ 147,2 milhões, aumento de 14,5%, embora o volume dos embarques (38,9 mil toneladas) tenha reduzido 10,8%.

A carne bovina também merece destaque no período. A receita ficou em US$ 410,9 milhões - valor 5,5% maior que o registrado nos mesmos meses de 2013, apesar de o volume embarcado ser praticamente o mesmo: 89,7 mil toneladas.

VBP DA AGROPECUÁRIA SOBE 0,7%

O VBP (Valor Bruto da Produção Agropecuária) de Minas Gerais foi estimado em R$ 47,9 bilhões, em novembro. O resultado é 0,7% superior ao obtido em 2013. O crescimento foi alavancado pelo desempenho da pecuária, que representou R$ 21,7 bilhões (45,3%). Isolado o setor registrou um VBP 3,7% maior que o do ano anterior.

O destaque da pecuária continua sendo o leite, cuja produção representa 21,44% do VBP total do estado. O produto teve valorização de 1,9%, chegando à estimativa de R$ 10,28 bilhões. A carne bovina também registrou bom desempenho. O faturamento foi avaliado em R$ 6,58 bilhões, 18% maior que em 2013.

Agricultura

Impactada pela seca deste ano e pela forte oscilação de preços, a agricultura respondeu por R$ 26,1 bilhões (54,7%), registrando VBP 1,3% menor que em 2013. O resultado reflete a redução da renda gerada por produtos importantes como feijão, batata, cebola, mandioca, soja e milho. Mas nem todas as lavouras tiveram desempenho reduzido: café, algodão, abacaxi e tomate continuam apresentando resultados favoráveis.

A renda estimada para o café ao longo deste ano foi de R$ 9,42 bilhões, uma elevação de 16,1% frente ao VBP registrado no ano anterior (R$ 8,1 bilhões). A estiagem provocou perdas nos cafezais mineiros próximas a 30% da safra, diminuindo a oferta do grão e favorecendo os preços. A cotação média da saca de 60 kg no estado atingiu R$ 409,76, um aumento de 32,1% em relação a 2013.

A estimativa de VBP para o algodão em caroço foi de 36,3%, chegando a R$ 227 milhões. O bom desempenho se deve à colheita de 72,5 mil toneladas - 10,4% mais que em 2013 – e aos preços 23,5% mais altos devido ao crescimento das demandas interna e externa.

O abacaxi, outro destaque, também apresentou crescimento na produção e alta dos preços, atingindo VBP de R$ 1,37 bilhão e crescendo 86,8% em relação a 2013. A demanda esteve aquecida durante todo o ano, fortalecendo o preço.

No caso do tomate os preços favoráveis ao longo do ano, ainda que menores do que 2013, estimularam a produção do fruto em Minas Gerais, que chegou a 669 mil toneladas. A expansão do VBP foi de 13,9%, atingindo R$ 991,3 milhões.

Já o milho apresentou decréscimo de 4,6% em relação ao ano passado, atingindo R$ 3,4 bilhões. Produção e preços reduziram. As baixas cotações desanimaram os produtores, que preferiram investir em outras lavouras, principalmente a soja.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »