20/03/2012 às 08h56min - Atualizada em 20/03/2012 às 08h56min

Palestra na Tecnoshow vai orientar produtor rural a se organizar e tomar decisões

Tecnoshow Comigo

O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Glauber Silveira, estará presente à Tecnoshow Comigo 2012, no dia 13 de abril, para ministrar a palestra ‘Capacidade de Organização e Representatividade da Cadeia Produtiva da Soja’. O assunto será debatido no auditório I do Centro Tecnológico Comigo (CTC), em Rio Verde (GO), a partir das 14 horas.

O palestrante pretende apresentar aos visitantes, a importância e necessidade dos produtores rurais se organizarem, as contribuições da Aprosoja para organizar e encaminhar os pleitos dos produtores de soja e milho, a sinergia entre Cooperativas, Federação e Associações, necessidade de integração dos produtores e de captação de recursos. 

Segundo Glauber, a palestra servirá oportunidade para alertar da necessidade de participação dos produtores rurais na tomada de decisões e encaminhamentos de seus pleitos. “Além disso, hoje os sindicatos, federações e a confederação trabalham com muita competência, mas precisam do apoio das associações no trabalho de debater e encaminhar todos os temas micro de interesse específico de cada cultura. Essa tem sido a experiência do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul com suas respectivas Aprosoja”, informa.

O palestrante acrescenta que esse trabalho tem gerado resultados formidáveis como a organização para renegociação das dívidas com a edição da Lei 11.775 de 2008 e para criação da Comissão Especial do Novo Código Florestal em 2009 e que hoje está em vias de ser aprovado pelo Congresso e sancionado pela presidente da república. “Mostrar essa oportunidade de organização e apoio gerado pelas associações de produtores é primordial”, diz.

O presidente da Aprosoja enfatiza que o produtor rural pretende entender que o seu papel em uma organização, seja ela uma cooperativa, federação, sindicato é fundamental. Para ele, uma manifestação de produtores da esplanada não pode contar com 20 mil produtores quando só de soja existem 500 mil, é preciso que mostrar a cara e a força. Glauber acrescenta que na história recente deste país o associativismo dos produtores de soja demonstrou ser um exemplo de sucesso de organização e representação dos produtores de soja, contribuindo e muito com a Federação e Cooperativas Agrícolas.

Cenário
Glauber relata que os americanos e europeus já descobriram há mais tempo que os brasileiros que existe a necessidade dos produtores se agruparem em associações. “Hoje, nos EUA, a Associação Americana dos Produtores de Soja (ASA, sigla em inglês) faz um trabalho brilhante de defesa não só dos interesses da cultura, mas principalmente dos produtores, com foco em garantia de renda e manutenção da atividade. Não é apenas com competência e tecnologia que eles se mantêm, mas através da construção de políticas agrícolas cujo foco é o produtor e não só da produção como ocorre no Brasil”, lista.

Perspectivas
A agricultura brasileira tem enfrentado grandes gargalos ao longo das últimas décadas, como a falta de infraestrutura, legislação ambiental inexequível, problemas de ordem fundiária, falta de seguro de produção e renda, entre outros. Por outro lado, o Brasil é um dos poucos países que ainda tem a possibilidade de ampliar sua área cultivada ao longo dos próximos anos e por isso é visto como o país que deve ajudar ajustar a demanda e oferta de alimentos nos próximos 30 anos. Segundo a FAO nos próximos 10 anos a demanda por alimentos deve crescer 20% e para garantir uma oferta condizente o Brasil terá que aumentar sua produção em 40%. “Nenhuma dessas coisas constitui um desafio grande demais para o país, mas nós aprendemos ao longo das últimas décadas que quando os produtores não se organizam e acompanham os rumos das políticas públicas e participando de sua construção, nem se preparam para mudanças nos panoramas econômicos, amargam perdas por muitos anos. O exemplo claro disso foi o que aconteceu com a legislação ambiental que alterada em 2000 por uma medida provisória colocou toda a agricultura brasileira na ilegalidade, excluindo muitos da atividade. Tudo isso prova a necessidade dos produtores entenderem a importância de se associarem e fortalecerem seu papel para terem ingerência nos rumos da sua atividade no país e no mundo”, finaliza.

Perfil do palestrante
Glauber Silveira engenheiro agrônomo com MBA em Gestão Empresarial de Cooperativas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), diretor da Associacão Brasileira do Agronegócio (Abag) e do Instituto Ação Verde, conselheiro do SENAR - MT e do INPEV, reside em Mato Grosso, no município de Campos de Júlio, onde é produtor rural.


SERVIÇO

Tecnoshow Comigo 2012

Local: CTC – Rio Verde – GO (Anel Viário Paulo Campos, Km 7, Zona Rural)

Período: 9 a 13 de abril (segunda a sexta-feira)

Horário: 8 às 18 horas

Serviço: Geração e Difusão de Tecnologias Agropecuárias, 
Exposição e Dinâmicas de Máquinas e Equipamentos, Palestras, Exposição de Animais e Dinâmicas de Pecuária. 

Entrada: Gratuita 

Site: www.tecnoshowcomigo.com.br

Twitter: @tecnoshowcomigo


Sobre a Tecnoshow Comigo
Desde 2002, a Comigo começou um trabalho de geração e difusão de tecnologias agropecuárias, em Rio Verde, numa área que hoje ultrapassa 130 hectares, e também para atuar no campo da pesquisa de soja, algodão, milho, trigo, fruticultura, pastagens, entre outros.
A Tecnoshow Comigo é uma grande vitrine para mostrar o que há de melhor destas tecnologias e é realizada em uma área de 60 hectares. No local, a Cooperativa promove experiências tecnológicas o ano todo, em parceria com diversas instituições de pesquisa, de ensino e outras empresas, visando auxiliar o produtor rural, particularmente o seu cooperado.

Fonte: Tecnoshow Comigo 
O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Glauber Silveira, estará presente à Tecnoshow Comigo 2012, no dia 13 de abril, para ministrar a palestra ‘Capacidade de Organização e Representatividade da Cadeia Produtiva da Soja’. O assunto será debatido no auditório I do Centro Tecnológico Comigo (CTC), em Rio Verde (GO), a partir das 14 horas.

O palestrante pretende apresentar aos visitantes, a importância e necessidade dos produtores rurais se organizarem, as contribuições da Aprosoja para organizar e encaminhar os pleitos dos produtores de soja e milho, a sinergia entre Cooperativas, Federação e Associações, necessidade de integração dos produtores e de captação de recursos. 

Segundo Glauber, a palestra servirá oportunidade para alertar da necessidade de participação dos produtores rurais na tomada de decisões e encaminhamentos de seus pleitos. “Além disso, hoje os sindicatos, federações e a confederação trabalham com muita competência, mas precisam do apoio das associações no trabalho de debater e encaminhar todos os temas micro de interesse específico de cada cultura. Essa tem sido a experiência do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul com suas respectivas Aprosoja”, informa.

O palestrante acrescenta que esse trabalho tem gerado resultados formidáveis como a organização para renegociação das dívidas com a edição da Lei 11.775 de 2008 e para criação da Comissão Especial do Novo Código Florestal em 2009 e que hoje está em vias de ser aprovado pelo Congresso e sancionado pela presidente da república. “Mostrar essa oportunidade de organização e apoio gerado pelas associações de produtores é primordial”, diz.

O presidente da Aprosoja enfatiza que o produtor rural pretende entender que o seu papel em uma organização, seja ela uma cooperativa, federação, sindicato é fundamental. Para ele, uma manifestação de produtores da esplanada não pode contar com 20 mil produtores quando só de soja existem 500 mil, é preciso que mostrar a cara e a força. Glauber acrescenta que na história recente deste país o associativismo dos produtores de soja demonstrou ser um exemplo de sucesso de organização e representação dos produtores de soja, contribuindo e muito com a Federação e Cooperativas Agrícolas.

Cenário
Glauber relata que os americanos e europeus já descobriram há mais tempo que os brasileiros que existe a necessidade dos produtores se agruparem em associações. “Hoje, nos EUA, a Associação Americana dos Produtores de Soja (ASA, sigla em inglês) faz um trabalho brilhante de defesa não só dos interesses da cultura, mas principalmente dos produtores, com foco em garantia de renda e manutenção da atividade. Não é apenas com competência e tecnologia que eles se mantêm, mas através da construção de políticas agrícolas cujo foco é o produtor e não só da produção como ocorre no Brasil”, lista.

Perspectivas
A agricultura brasileira tem enfrentado grandes gargalos ao longo das últimas décadas, como a falta de infraestrutura, legislação ambiental inexequível, problemas de ordem fundiária, falta de seguro de produção e renda, entre outros. Por outro lado, o Brasil é um dos poucos países que ainda tem a possibilidade de ampliar sua área cultivada ao longo dos próximos anos e por isso é visto como o país que deve ajudar ajustar a demanda e oferta de alimentos nos próximos 30 anos. Segundo a FAO nos próximos 10 anos a demanda por alimentos deve crescer 20% e para garantir uma oferta condizente o Brasil terá que aumentar sua produção em 40%. “Nenhuma dessas coisas constitui um desafio grande demais para o país, mas nós aprendemos ao longo das últimas décadas que quando os produtores não se organizam e acompanham os rumos das políticas públicas e participando de sua construção, nem se preparam para mudanças nos panoramas econômicos, amargam perdas por muitos anos. O exemplo claro disso foi o que aconteceu com a legislação ambiental que alterada em 2000 por uma medida provisória colocou toda a agricultura brasileira na ilegalidade, excluindo muitos da atividade. Tudo isso prova a necessidade dos produtores entenderem a importância de se associarem e fortalecerem seu papel para terem ingerência nos rumos da sua atividade no país e no mundo”, finaliza.

Perfil do palestrante
Glauber Silveira engenheiro agrônomo com MBA em Gestão Empresarial de Cooperativas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), diretor da Associacão Brasileira do Agronegócio (Abag) e do Instituto Ação Verde, conselheiro do SENAR - MT e do INPEV, reside em Mato Grosso, no município de Campos de Júlio, onde é produtor rural.


SERVIÇO

Tecnoshow Comigo 2012

Local: CTC – Rio Verde – GO (Anel Viário Paulo Campos, Km 7, Zona Rural)

Período: 9 a 13 de abril (segunda a sexta-feira)

Horário: 8 às 18 horas

Serviço: Geração e Difusão de Tecnologias Agropecuárias, 
Exposição e Dinâmicas de Máquinas e Equipamentos, Palestras, Exposição de Animais e Dinâmicas de Pecuária. 

Entrada: Gratuita 
Site: www.tecnoshowcomigo.com.br
Twitter: @tecnoshowcomigo


Sobre a Tecnoshow Comigo
Desde 2002, a Comigo começou um trabalho de geração e difusão de tecnologias agropecuárias, em Rio Verde, numa área que hoje ultrapassa 130 hectares, e também para atuar no campo da pesquisa de soja, algodão, milho, trigo, fruticultura, pastagens, entre outros.
A Tecnoshow Comigo é uma grande vitrine para mostrar o que há de melhor destas tecnologias e é realizada em uma área de 60 hectares. No local, a Cooperativa promove experiências tecnológicas o ano todo, em parceria com diversas instituições de pesquisa, de ensino e outras empresas, visando auxiliar o produtor rural, particularmente o seu cooperado.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »