17/01/2011 às 15h59min - Atualizada em 17/01/2011 às 15h59min

Programa quer alavancar a produção do leite de Mato Grosso do Sul

CNA

Mato Grosso do Sul é o 12° colocado no Brasil em produção de leite, com uma média equivalente a 2,8 kg/vaca/dia. Os solos, pastagem em degradação, a falta de tecnologia e a mão-de-obra deficiente tem sido alguns dos motivos da queda na produção do leite em MS segundo o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O instituto indica também a ausência de suplementação em período seco e os rebanhos pouco especializados, como motivos da baixa produtividade no Estado.

A produção leiteira no Brasil é uma atividade de pequenos produtores, sendo 80% de caráter familiar, com uma média produtiva inferior a 300 litros/dia/propriedade. Como alternativa para alavancar a produção no Mato Grosso do Sul e auxiliar na organização da cadeia produtiva, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de MS – Senar/MS lançará o Programa Mais Leite, primeiro ciclo de palestras com intuito de incentivar a renda do produtor, priorizando a qualidade do leite.

”O Mais Leite pode melhorar o cenário brasileiro nesse ramo que já está se modificando e transformando os produtores em empreendedores. Com dedicação a este mercado e produção melhorada, o setor se torna mais competitivo e passamos a oferecer segurança e qualidade do produto para a população”, afirma Clodoaldo Martins, superintendente do Senar/MS.

As primeiras cidades a receberem o ciclo de palestras do Programa Mais Leite, que pretende orientar cerca de 1.200 produtores de leite do Estado, serão Camapuã, no dia dois de fevereiro, Paranaíba, no dia 23 do mesmo mês, Glória de Dourados, em 15 de março, e Anastácio, no dia 12 de abril. Os demais produtores, residentes em outras cidades também terão oportunidade de debaterem suas dúvidas e se informarem com palestrantes especializados no encontro estadual que acontecerá nos dias 14 e 15 de maio na capital, Campo Grande.

“Durante as palestras serão exibidas seis vertentes detalhadas referente a gestão do leite, como a qualidade, as normativas de produção, assim como a norma 51, sua comercialização, linhas de financiamento e mão-de-obra. Todas desenvolvidas com especialistas da área que pretendem exibir uma forma de rentabilidade aliada a qualidade do leite e o aumento de sua produção,” esclarece a veterinária Adriana Ferreira Domingos, coordenadora do Programa Mais Leite.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas por meio do site www.senarms.org.br e nos sindicatos rurais dos municípios participantes. 

O Programa Mais Leite é uma iniciativa da Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Senar/MS, Fundação Educacional para o desenvolvimento Rural (Funar), com apoio dos sindicatos rurais patronais de MS, Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil (Mapa), Governo do Estado de MS/ Secretaria de Produção, Federação das Indústrias de MS (Fiems), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de MS (Sebrae-MS), e conta com a parceria do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »