16/01/2011 às 15h28min - Atualizada em 16/01/2011 às 15h28min

Resultados do Geraleite-Balde Cheio na Bahia

Portal do Agronegócio

O evento propôs aquisição de informação, além da construção de uma rede de conhecimento entre produtores participantes do projeto. “Neste processo o Sebrae estimula o empreendedorismo, associativismo e cooperativismo, buscando a gestão interna, inovação tecnológica e acesso ao mercado”, afirmou o gestor de projetos do Sebrae, Paulo Mesquita.

O Geraleite, que é resultado de parceria entre o Sebrae e o sistema Feb/Senar, está presente em 51 municípios baianos e atende 300 propriedades rurais e laticínios no Estado. O objetivo das ações é melhorar a qualidade do produto e da gestão de propriedades. . Para isso, os técnicos oferecem assistência técnica e gerencial, com foco na cadeia produtiva do leite.

A ação trabalha dentro de dois elos da cadeia produtiva: produção e agroindústria. Os produtores têm o suporte da ação estruturante Agetec/Leite (Assistência Técnica e Gerencial), através da qual recebem noções de gerenciamento da propriedade, além de orientações técnicas para melhorar a produtividade.

Geraleite e Balde Cheio no sul da Bahia

De acordo com o engenheiro agrícola Rafael Azevedo, um dos coordenadores do simpósio, apesar da relevância da bovinocultura de leite praticada no extremo sul dentro do cenário econômico da região, a atividade leiteira não estava atendendo às expectativas dos produtores envolvidos no setor. A média de produtividade estava entre três e cinco litros de leite por animal ao dia.

Por isso, em setembro de 2007, foi iniciada a implantação do projeto Balde Cheio, desenvolvido pela Embrapa Gado de Leite de São Carlos/SP e coordenado em 13 municípios do extremo sul baiano pelo engenheiro agrônomo Walter Miguel Ribeiro. O objetivo da implantação foi transferir tecnologia através do técnico de campo, reorganizando pilares importantes da pecuária leiteira. Em três anos de ações, as propriedades atingidas pelo projeto elevaram a média de produtividade para 200 litros de leite ao dia. A média de produtividade depende também da genética dos bovinos.

Em setembro de 2009, o Geraleite e o Balde Cheio passaram a atuar em conjunto. A oficialização desta união aconteceu em outubro de 2009 durante o primeiro simpósio realizado em Mucuri. Na segunda edição do evento, foram apresentados os resultados do projeto para buscar a adesão de novos produtores.

“A meta do projeto é que, ao término do quarto ano de atuação, prazo final de sua execução, sejam atendidas entre 500 e 700 propriedades da região”, informou Azevedo, lembrando que a maior fazenda do projeto no Brasil, a L3, fica situada no extremo sul baiano, produzindo diariamente 6 mil litros.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »