08/08/2010 às 07h52min - Atualizada em 08/08/2010 às 07h52min

Dubai: leite de camela ultrapassa fronteiras árabes

Agência de Notícias Brasil-Árabe

Produtos feitos a partir de leite de camela estão ultrapassando as fronteiras do mundo árabe para ganhar mercados no exterior. De acordo com reportagem publicada neste final de semana pelo jornal Khaleej Times, de Dubai, a empresa Al-Nassma Chocolate, que produz chocolate ao leite de camela, abriu um ponto-de-venda em Tóquio, no Japão, e seus produtos devem chegar em breve às cidades japonesas de Osaka, Kyoto e Sapporo.

“A resposta que tivemos foi muito positiva, especialmente no Japão, onde nós abrimos nosso próprio ponto-de-venda dentro de uma loja de departamentos”, disse o porta-voz e membro da diretoria da empresa, David Wernery, ao Khaleej Times. “A resposta dos Estados Unidos é também muito positiva, todos querem mais chocolate”, acrescentou.

A companhia já exporta para outros países árabes, como Arábia Saudita e Omã, e negocia com importadores do Kuwait, Catar e Bahrein, sempre de acordo com o jornal. Para a publicação, porém, a experiência no Japão mostra que as empresas dos Emirados têm condições de conquistar mercados considerados complexos fora da região.

"Al-Nassma", segundo o site da empresa, é o nome de um vento que, de tempos em tempos, leva o frescor do oceano às planícies desérticas. O camelo, por sua vez, é conhecido como "o navio do deserto".

A fábrica, segundo Wernery, produz cerca de 10 toneladas de chocolate por mês e há desejo de ampliação, pois a demanda é maior do que a oferta. Mas ela depende da disponibilidade de leite de camela em pó no mercado. O executivo afirmou que a indústria procura aumentar sua capacidade por meio da compra e criação de animais.

O jornal informa que a produção de leite de camela é geralmente informal e que a atividade regular deveria ter apoio governamental. No caso dos Emirados, o Khaleej Times opina que os criadores deveriam ter incentivos, como financiamento facilitado.

A publicação informa também que o leite de camela é mais nutritivo que o de vaca, pois tem menos gordura e colesterol, é mais rico em potássio, ferro, sódio e magnésio. Nos Emirados, o produto pode ser encontrado nos mercados, mas é mais caro do que o leite de vaca por causa da baixa disponibilidade.

De acordo com o responsável pela área de lácteos da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), Anthony Bennet, citado pelo jornal, o comércio internacional de leite de camela poderia movimentar US$ 10 bilhões, caso a atividade fosse profissionalizada. "Na Rússia, Cazaquistão e na Índia, os médicos muitas vezes prescrevem o produto para pacientes em convalescença. Já na África, ele pode ser recomendado para pessoas que convivem com a AIDS", acrescentou.

Bennet disse ainda, sempre segundo o Khaleej Times, que atualmente são realizadas pesquisas para verificar se o leite de camela ajuda na redução do diabetes e de doenças cardíacas.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »