23/08/2020 às 11h24min - Atualizada em 23/08/2020 às 11h24min

Programa auxilia na qualidade do gado leiteiro

Aterceira edição do Programa Agropecuário de Bovinocultura de Leite de Venâncio Aires beneficiará este ano 13 produtores, que buscam o melhoramento genético do rebanho leiteiro a partir da aquisição de doses de sêmen de touros. A iniciativa é desenvolvida pela Secretaria de Agricultura, em parceria com a Emater-RS/Ascar e Grupo do Leite do município. Na primeira edição, em 2018, houve oito agricultores habilitados. Já no ano passado foram nove.

O edital de 2020 destinou R$ 25 mil, mas houve a aplicação de R$ 10.154,20 em 298 doses de sêmen. O recurso é oriundo do Fundo Municipal do Desenvolvimento Rural. Os produtores habilitados ganharam auxílio de R$ 35,00 em dose de sêmen, respeitando 50 por propriedade.

O município tem 165 produtores de leite. Entre eles está o casal Ângelo Batista Reis e Lisane Michele Franck, que participa pela terceira vez do programa. Moradores de Linha Harmonia da Costa, eles iniciaram a produção leiteira em 2013 com oito vacas. Hoje, com 51 animais da raça holandesa, sendo 44 em fase de reprodução e 28 em fase de lactação, produzem cerca de 800 litros por dia.

LEIA TAMBÉM: Produtores comemoram aumento no preço pago pelo leite

Grupo foi a Linha Cecília, na propriedade de Luis Carlos e Rosmere Scheibler, para conferir os resultados

A busca pela mudança e o melhoramento de raça das vacas da propriedade, passando de holandesa para jersey, foi o que motivou o casal Luis Carlos e Rosmere Scheibler a se inscrever no programa nas duas últimas edições. Na quarta-feira, o prefeito Giovane Wickert, o vice Celso Krämer, o secretário de Desenvolvimento Rural, Gilmar Mohr, o técnico da pasta, Gerson Antoni e o chefe do escritório local da Emater/Ascar-RS, Vicente Fin, foram até a propriedade em Linha Cecília conferir o desenvolvimento da produção leiteira. No local, são 35 vacas – 16 delas em fase de produção leiteira.

O programa teve alteração. Antes os produtores recebiam apenas o serviço de inseminação e não podiam escolher a raça. Agora, contam com um auxílio para compra do sêmen. Com isso, conseguem uma mudança e resultados mais rápidos.

Para o próximo ano, a expectativa da Prefeitura é aprimorar o programa com duas opções para os produtores: forma tradicional, de sêmen normal, no qual podem nascer fêmeas ou machos; e o sêmen sexado, com a geração de crias fêmeas.

Fonte: Redação Gazeta do Sul

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »