14/08/2017 às 11h07min - Atualizada em 14/08/2017 às 11h07min

Com novas medidas, cota do Vivaleite diminui em Jaú

O Programa Vivaleite, projeto do governo do Estado de distribuição gratuita de leite pasteurizado, terá mudanças em sua forma de seleção de beneficiários e distribuição dos litros a partir de hoje. Com os novos critérios, o número de pessoas que recebem o item e os litros distribuídos diminuirão em Jaú. 
 
Por determinação estadual, a partir deste mês, o Município não terá mais autonomia para avaliar a entrada ou desligamento da criança do programa, pois a avaliação ficará a critério do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). 
 
Jaú fornecia antes da nova medida 12.120 litros de leite pasteurizado enriquecido com vários nutrientes – incluindo ferro e vitaminas A e D; 808 crianças de 6 meses a 5 anos e 11 meses recebiam o item nas unidades básicas de saúde (UBS) da cidade. 
 
A partir de hoje, o Município distribuirá 10.665 litros para 711 crianças, ou seja, haverá a redução de 97 crianças e 1.455 litros após as novas medidas do programa, segundo a gerente de coordenação técnica da Secretaria de Saúde de Jaú, Vânia de Fontes Vancin, que é responsável pelo Vivaleite na cidade. 
Os novos critérios de seleção dão caráter social ao Vivaleite. “O candidato elegível para o programa deverá ter ¼ de salário mínimo de renda per capita, a criança deve ter de 6 meses a 5 anos e 11 meses, fazer uma avaliação antropométrica (de peso e altura) a cada quatro meses e também atender a demais itens do projeto”, afirma Vânia. 
 
Os litros de leite são distribuídos duas vezes por semana, totalizando oito entregas por mês. Outra regra que foi mudada a partir de hoje é em relação ao número de crianças por família que receberá o item. “Antes, por exemplo, se a mãe tinha duas crianças, ela seria beneficiada para as duas, ou seja, 15 litros por mês para cada filho. Com a reestruturação, apenas uma criança será beneficiada por família, independente do número de filhos, mantendo a quantidade de 15 litros por mês”, ressalta. 
 
Em relação à diminuição da cota do Vivaleite para o Município, Vânia acredita ser uma medida ruim para a população, principalmente na situação de desemprego vivenciada por muitas famílias. Além disso, o leite ainda é a base da alimentação de muitas crianças e até a única fonte de cálcio para vários cidadãos que não tem uma dieta tão rica. 
 
Demanda
 
Em Jaú, as unidades de saúde que mais distribuem leite do Programa Vivaleite são as localizadas nos Jardins Itamaraty, Pedro Ometto e Padre Augusto Sani, bairro da Olaria, em Potunduva, e também a situada no distrito.
 
Fonte: Jornal Comércio de Jaú

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »