11/08/2017 às 09h52min - Atualizada em 11/08/2017 às 09h52min

J&F anuncia venda da Vigor para grupo mexicano por R$ 5,72 bilhões

O grupo J&F disse nesta quinta-feira (3) que fechou a venda da Vigor para o grupo mexicano Lala, em uma transação de aproximadamente R$ 5,72 bilhões. Esse valor inclui a venda da parte da JBS, que possui 19,43% das ações da Vigor, de R$ 1,11 bilhão.

A JBS estima que irá receber o valor aproximado de R$ 780 milhões no fechamento da operação, sujeito a ajustes previstos no contrato. A empresa diz que pretende usar o valor levantado para pagar o acordo de R$ 20 bilhões que fechou com bancos para manter oferta de crédito.

Desde que fechou um acordo de delação premiada, a companhia vinha perdendo credibilidade e suas condições de crédito não estavam mais asseguradas.

Iogurte da marca Vigor (Foto: Reprodução/Facebook Vigor Brasil) Iogurte da marca Vigor (Foto: Reprodução/Facebook Vigor Brasil)

Iogurte da marca Vigor (Foto: Reprodução/Facebook Vigor Brasil)

A Vigor, tem 7,6 mil funcionários, 11 centros de coleta de leite e 14 plantas de produção. Os produtos são comercializados sob marcas como Vigor, Danubio, Faixa Azul, Leco entre outros. A participação da JBS na composição da Vigor representa 19% de suas ações. Os outros acionistas da Vigor são a FB Participações (72%) e Arla Foods (8%).

O Grupo Lala, que tem ações negociadas na bolsa de valores mexicana, é o maior grupo industrial de lácteos do México, segundo a J&F, fundado há mais de 60 anos e com atuação nos mercados do México, EUA e América Central.

Venda de ativos

Esta é a segunda venda de ativos da J&F após a eclosão do escândalo de corrupção envolvendo o nome do grupo, controlador da JBS. Em junho, foi fechado acordo pela venda da Alpargatas à Cambuhy.

As vendas ocorrem após a J&F fechar acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF). A empresa se comprometeu a pagar multa de R$ 10,3 bilhões em 25 anos. A negociação bilionária assegurará o fim das investigações da Polícia Federal (PF) e do MPF contra as empresas do grupo J&F nas operações Greenfield, Sepsis, Cui Bono, Bullish e Carne Fraca.

No entanto, o acordo de leniência não tem relação direta com a delação premiada fechada pelos executivos da J&F, entre os quais os empresários Joesley e Wesley Batista.

Fonte: Portal Globo G1


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »