31/07/2014 às 10h28min - Atualizada em 31/07/2014 às 10h28min

Ovinocaprinocultura - Sinônimo de Qualidade

Assunto que virou rotina em todos os setores da economia, a crise econômica mundial é um fato verdadeiramente preocupante, que já refletiu em muitos mercados ou, pelo menos, obrigou muitos segmentos a reverem suas estratégias e previsões. Mas felizmente, existem algumas áreas que possuem certas variáveis e quesitos que as blindam destes efeitos. Os mercados de ovinos e caprinos são um exemplo disso. 

Como criador e empresário deste segmento, observo muitas ações positivas em prol da ovinocaprinocultura. Por mais que possa haver pessimismo por parte de alguns, também existem muitas pessoas dispostas a investir. Além disso, quem faz melhoramento genético não pode parar. Definitivamente, criadores que apostam pesado em genética, realidade cada vez mais presente neste setor, perderiam anos de trabalho caso ficassem desestimulados ou temerosos por conta da crise. Pelo contrário. É justamente nestas horas que todos os integrantes das cadeias produtivas de ovinos e caprinos devem buscar um diferencial, elaborar estratégias mais sólidas e aparecer para o mercado.

No fim das contas, toda esta crise apenas mostrou a realidade do mercado, desfazendo, assim, qualquer perspectiva ou dimensão exagerada que, por ventura, tenha ocorrido. Ao mesmo tempo, este período iluminou de forma muito clara diversas necessidades a serem supridas e, principalmente, as oportunidades existentes.

Cada vez mais a carne, o leite e os produtos que podem ser obtidos a partir da criação de ovinos e caprinos estão sendo apreciados no mercado interno e Externo. Hoje, em qualquer churrascaria é possível encontrar carne de cordeiro. Até em supermercados isso já está virando uma realidade.

Outro ponto que demonstra o enorme potencial deste mercado está ligado a um dado que, a princípio, pode parecer negativo para o setor. Hoje, mo mercado interno, a demanda por carne é bem maior do que a oferta. Produzimos apenas 20% do que é consumido. O restante vem de outros países, especialmente do Uruguai. Temos um plantel satisfatório, com mais de 21 milhões de cabeças, de acordo com o IBGE. Apesar disso, nosso consumo está muito além da produtividade. 

Segundo a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), nossas propriedades ficam devendo, anualmente, mais de 32 mil toneladas de carne ao mercado interno. A falta de produtos não é uma questão apenas de produção de carne. A caprinocultura leiteira, por exemplo, carrega um déficit de quatro mil toneladas por ano na produção, que hoje é de 22 mil toneladas. Ou seja: 15% da demanda interna de leite caprino estão entregues nas mãos dos produtores de outros países. Ou seja, temos demanda, bom espaço territorial, matéria-prima, mão-de-obra acessível e custo de produção competitivo com os maiores produtores de mundo. 

Alia-se a este quesito o fato de a ovinocaprinocultura demandar pouco espaço para o seu manejo, permitindo, inclusive, que a sua prática seja realizada de forma consorciada com outras atividades. Este setor reserva ainda mais uma oportunidade. Além de haver um grande potencial de consumo e produção de carne e leite, existe também uma grande demanda pela pele e lã destes animais. Atualmente, no Brasil, são produzidas 14 mil toneladas de lã e 7 mil toneladas de couro que abastecem a indústria têxtil.

Tudo isso é oportunidade. Tudo isso é versatilidade. Basta apenas que as iniciativas públicas e privadas promovam as ações necessárias para transformar estes fatores favoráveis em crescimento real. Ocupamos a liderança global na produção de diversos itens agropecuários. E isso só foi conquistado porque determinados setores receberam atenção e atitude. Agora é a vez de a ovinocaprinocultura contar com mais holofotes. 


Saudações Laticinistas
Décio Ribeiro dos Santos
Diretor do Agrocentro Feiras e Exposições
Barueiri - SP

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »