24/05/2014 às 12h35min - Atualizada em 24/05/2014 às 12h35min

5º Rio Leite Norte reuniu cerca de 500 produtores em Conceição de Macabu

Governo do Rio de Janeiro

Como faz diariamente, Genilson de Souza Pinto, produtor de leite no distrito de Rio Preto, em Campos dos Goytacazes, acordou às cinco da manhã para ordenhar suas 20 vacas em lactação. Além das tarefas na propriedade, tinha outro compromisso para o qual não queria se atrasar. Juntamente com outros produtores participaria pela primeira vez do Rio Leite Norte, promovido pela secretaria estadual de Agricultura.

O evento, em Conceição de Macabu, que contou com quase 500 participantes, integra a série de encontros realizados em todas as regiões do estado, com o objetivo de levar novas tecnologias visando o aumento da produção e a melhoria da qualidade do leite produzido no território fluminense.

- Tudo que envolve o leite me interessa. Quero conhecer novas técnicas e saber como aumentar minha produção, que hoje é de 25 litros de leite por dia. Preciso aprender para evoluir - contou Genilson.

Assim como ele, a produtora Claudinéia Mota da Silva também estava ansiosa pelas novidades. Deixou o marido Genivaldo cuidando dos animais e decidiu participar disposta a aprender sobre novas espécies de capim para alimentar os sete animais da propriedade.

- Sei que a alimentação é muito importante para o rebanho. Os técnicos do Programa Rio Rural e da Emater-Rio sempre falam isso pra gente. Com recursos do Rio Rural já implantamos pastejo rotacionado. Vim aqui para aprender mais - acrescentou.

Na avaliação do veterinário da Emater-Rio, Renato Cortes, os encontros do Rio Leite são estímulos para quem produz. Podem aprender novas práticas de manejo e entender como elas podem fazer a diferença ajudando, em alguns casos, a duplicar a produção.

- Aqui podem ter contato com produtores que já alcançaram resultados expressivos e seguir os exemplos de sucesso.Um deles é Romeu Raymundo Soares e seu filho Washington, de Cerejeira, distrito de Dores de Macabu. Implementaram o pastejo rotacionado em um hectare, com recursos do Rio Rural. O cuidado com a alimentação dos animais tem permitido que as duas ordenhas diárias nas 14 vacas do rebanho produzam 440 litros de leite /dia. Agora, com recursos próprios, já querem aumentar a área de pastejo em mais um hectare - enfatizou o veterinário.

De acordo com o secretário estadual de Agricultura, Alberto Mofati, o Rio Leite integra o conjunto de ações do governo do estado para estruturar a cadeia láctea, aumentando a produção e a renda daqueles que se dedicam à atividade. Os conhecimentos recebidos nesses encontros acabam sendo multiplicados e atraindo novos produtores.

O casal Manoel Antônio e Jacira Peçanha da Rosa, da localidade de Dores de Macabu, motivado pelo bom momento da pecuária leiteira no estado, decidiu trocar o cultivo da cana-de-açúcar pela produção de leite e, por isso participavam do Rio Leite.

- Vamos começar com o pé direito. Com o auxílio do pessoal da Emater-Rio e do Rio Rural já protegemos uma nascente na nossa propriedade. Agora estamos implantando o pastejo rotacionado para trazer os animais quando o pasto estiver pronto. Estamos aqui hoje para aprender - finalizou.

Em parceria com a Embrapa Gado de Leite, a solenidade de abertura do V Rio Leite Norte contou ainda com as presenças do prefeito de Conceição de Macabu, Claudio Linhares, da presidente da Emater-Rio, Stella Romanos e do deputado estadual Christino Áureo, entre outras autoridades.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »