11/05/2013 às 09h37min - Atualizada em 11/05/2013 às 09h37min

Produtor diz que fraude é 'revoltante' e teme desvalorização do leite no RS

http://g1.globo.com/

Além de preocupar os consumidores, o esquema de adulteração do leite gera revolta entre os produtores do Rio Grande do Sul. O temor é de uma possível queda nos preços após a Operação Leite Compensado, que investiga a fraude por parte de transportadoras. Sem nenhuma participação no esquema, eles investem alto para garantir a qualidade do leite produzido em suas propriedades, como mostra a reportagem do Campo e Lavoura, da RBS TV.

"É revoltante, é inaceitável acontecer isso. O produtor é exigido e faz a parte dele e o intermediário faz essa sacanagem com o produto que a gente produz", lamenta Nestor Braun, de Santa Rosa, no Noroeste do estado. O produtor tem 35 vacas que produzem uma média de 800 litros por dia.

Depois da ação que foi desencadeada na última quarta-feira (9), lotes de leite de seis marcas foram retiradas do mercado por contaminação (veja lista de lotes aqui). Três postos de resfriamento e uma fábrica em Estrela foram interditadas. Das sete pessoas presas, seis já foram ouvidas em Tapera até a sexta-feira (9). Cinco delas ficaram caladas e só vão se manifestar em juízo. Duas haviam sido liberadas após os depoimentos. 

Na segunda-feira (13), será ouvido um empresário preso em Guaporé, na Serra. A denúncia será enviada a Justiça na próxima semana. As empresas que receberam o leite adulterado também serão chamadas a dar explicações sobre os testes.

Confira a lista de lotes de leite não recomendados para consumo
Indústrias de leite serão chamadas a dar explicações sobre testes no RS
Receita para fraudar leite no RS era vendida por R$ 10 mil, diz promotor
Postos vetados tinham 28 mil litros de leite com formol, diz ministério Música sertaneja pedida em rádio do RS servia de código na fraude do leite.

O produtor investe em tecnologia para que os animais produzam um leite com qualidade. Segundo ele, cumpre todas exigências estipuladas pela normativa que regulamenta a atividade leiteira. Com maior qualidade, ele recebe mais pelo produto."A gente tem o custo, mas tem a vantagem de receber mais por um produto de melhor qualidade", afirma o Nestor.

O filho de Nestor, Cristiano, diz que recebeu propostas de outros transportadores para vender o leite por um preço maior. "Ano passado recebemos 10 ou 15 propostas de empresas que vieram aqui na propriedade. Também de empresas sérias, mas também gente que não preza muito pela qualidade", conta.

A preocupação dos agricultores é que leite chegue aos postos de resfriamento e na indústria com a mesma qualidade que saiu do campo. Era justamente neste trecho, entre o produtor e o posto, que ocorria a adulteração do produto, com a adição de água e ureia.
Responsável pelo setor de leite da Cooperativa Mista São Luiz, de Santa Rosa, o agrônomo Milton Racho afirma que os problemas apresentados podem gerar desconfiança dos consumidores. Se houver queda no consumo, automaticamente o preço deve baixar para o produtor.

"É preciso saber que o Ministério Público e o Ministério da Agricultura estão agindo muito forte em cima disso. Isso não comprometeu todo o leite do Rio Grande do Sul. O consumidor siga consumindo o leite porque existem empresas e produtores sérios e idôneos", alerta o agrônomo.

Cooperativa faz testes para verificar qualidade

Para ele, a investigação fará com que os produtores comecem a procurar empresas com credibilidade para vender o leite. "Simplesmente alguns chegam aos produtores e perguntam quanto eles recebem pelo leito. E aí dizem 'nós pagamos tanto a mais e sendo branco para nós, é leite. Não exigimos qualidade'. Isso é um desserviço para a cadeira leiteira", afirma Racho.
Para evitar que o leite entre na plataforma contaminado ou com misturas, por lei, todas as unidades de resfriamento devem ter laboratório. Na Coopermil, de Santa Rosa, o caminhão só pode descarregar depois de todos os testes exigidos pelo Ministério da Agricultura serem feitos e aprovados.

Fórmula usada para adulterar leite era vendida por R$ 10 mil 

A fórmula usada para adulterar o leite e aumentar o lucro de transportadoras era vendida por R$ 10 mil, segundo o promotor Mauro Rockenbach, que comanda a investigação do MP. “Eles descobriram uma fórmula de mascarar a adição de água e com isso lucrar com 10% no volume. Essa fórmula era vendida entre eles por R$ 10 mil”, disse Rockenbach. Para cada 100 litros de leite, eram adicionados nove litros de água e um de ureia.
De acordo com a investigação, os suspeitos fraudavam o leite em três núcleos, mas sem vínculo entre eles. O MP passou a monitorar os grupos e, sempre que havia adulteração e depois envio aos postos de resfriamento, os fiscais iam até os locais.

Quem tiver embalagens fechadas dos produtos dos lotes não recomendados para consumo deve guarda-los e comunicar Ministério Público pelo e-mail consumidor@mp.rs.gov.br.

Confira a lista dos produtos não recomendados
Leite Líder - UHT Integral
SIF 4182 - Fabricação: 17/12/12
Lote: TAP 1 MB
Leite Italac - UHT Integral
Goiás Minas - SIF 1369
Fabricação: 30/10/12 - Lote: L05 KM3
Fabricação: 5/11/12 - Lote: L13 KM3
Fabricação: 7/11/12 - Lote: L18 KM3
Fabricação: 8/11/12 - Lote: L22 KM4
Fabricação: 9/11/12 - Lote: L23 KM1
Leite Italac - UHT semidesnatado
Goiás Minas - SIF 1369
Fabricação: 5/11/12 - Lote: L12 KM1
Leite Mu-Mu - UHT Integral
Vonpar - SIF 1792
Fabricação: 18/01/13
Lote: 3 ARC
Leite Latvida - UHT Desnatado
VRS - Latvida - CISPOA 661
Fabricação: 16/2/2013 Validade: 16/6/2013
O MP não divulgou o número do lote
Leite UHT Semidesnatado
VRS - CISPOA 048/661
Marca: Latvida
Lote 190 - Fabricação: 2/4/2013
Lote 193 - Fabricação: 5/4/2013
Lote 103 - Fabricação: 18/4/2013
Leite UHT Desnatado
VRS - CISPOA 037/661
Marca: Só Milk e Latvida
Lote 188 - Fabricação: 4/4/2013
Lote 198 - Fabricação: 10/4/2013
Lote 202 - Fabricação: 11/4/2013
Lote 104 - Fabricação: 15/4/2013
Leite produzido em 16/2/2013, com validade até 16/6/2013
Leite UHT Integral
VRS - CISPOA 036/661
Marcas: Hollmann, Goolac, Só Milk, Latvida
Lote: 103 - Fabricação: 1/4/2013
Lote: 184 - Fabricação: 3/4/2013
Lote: 189 - Fabricação: 4/4/2013
Lote 190 - Fabricação: 5/4/2013
Lote 196 - Fabricação: 9/4/2013
Lote 200 - Fabricação: 10/4/2013
Lote 201 - Fabricação: 19/4/2013
Lote 202 - Fabricação: 20/4/2013
Lote 204 - Fabricação: 21/4/2013
Lote 205 - Fabricação: 22/4/2013

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »