26/09/2017 às 09h45min - Atualizada em 26/09/2017 às 09h45min

BR Foods busca apoio de prefeitura para se manter em Uberlândia

As operações da BR Foods em Uberlândia podem estar com os dias contados. De acordo com a Prefeitura de Uberlândia, executivos da multinacional de alimentos estiveram reunidos com o prefeito Odelmo Leão na última semana e externaram a preocupação em continuar atuando no Estado após cortes em incentivos tributários feitos pelo Governo de MG.

Por meio de nota, a empresa disse nesta segunda-feira (18) que não vai comentar o assunto. Até esta publicação, o G1 ainda aguardava um posicionamento da Secretaria de Estado da Fazenda sobre os cortes de incentivos.

A administração municipal informou que participaram da reunião na prefeitura o vice-presidente nacional da companhia de alimentos, Alexandre Moreira de Almeida, o diretor regional Centro-Oeste, Fábio Stumpf, o gerente industrial em Uberlândia, Rubens Modena, o gerente comercial em Uberlândia, Hélder Carvalho, e os deputados estaduais Felipe Attiê e Arnaldo Silva.

O prefeito Odelmo Leão declarou, também por meio de nota, que o Município vai trabalhar para manter as operações das unidades da empresa na cidade. “É uma empresa de extrema importância para a economia de Uberlândia, que gera mais de 7,5 mil empregos diretos e que move toda uma cadeia produtiva local para produzir carnes e outros alimentos”, explicou o prefeito.

Os deputados presentes na reunião observaram que o Governo de Minas tem feito cortes nos incentivos tributários e pretendem abrir discussões na Assembleia de Minas Gerais que podem colaborar com a manutenção no Estado de empresas como a BR Foods.

Atuação da BR Foods na região


Apenas no Brasil, a BR Foods possui 35 unidades produtivas e 20 centros de distribuição, com mais de 88 mil colaboradores diretos, mas, nos últimos quatro anos, a multinacional encerrou contratos com criadores de peru duas vezes em Uberlândia.

Em novembro de 2016, a BRF reincidiu com 123 produtores. Em 2013, a BRF realizou a rescisão dos contratos com 108 criadores. De acordo com a Associação dos Granjeiros Integrados do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba (Agritap), a empresa já chegou ter contrato com 238 produtores da cidade. Na época, a empresa justificou aos criadores, por meio de documento, que o término dos contratos aconteceu devido à redução na produção diária na fábrica de abatedouros em Uberlândia.

Fonte: Portal G1

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que mais te agrada no Site Ciência do Leite?

7.7%
42.3%
23.2%
10.9%
15.9%