12/04/2017 às 10h13min - Atualizada em 12/04/2017 às 10h13min

Piá triplica capacidade de produção de iogurtes

A Cooperativa Piá inaugurou nesta sexta-feira, 17 de março, a ampliação de sua nova fábrica de iogurtes em Nova Petrópolis, um trabalho iniciado em 2011. Com a nova estrutura, a Piá passará a ter uma capacidade de 450 toneladas por dia de fermentados (bebidas lácteas e iogurtes), manteiga, requeijão, doce de leite e doce de frutas. Esta capacidade é o triplo da atual, que chega a 150 toneladas por dia.

Durante a cerimônia de inauguração, o presidente da Piá, Gilberto Kny, enalteceu os 50 anos da cooperativa, seus 15 mil clientes e 85 municípios produtores. "Somos uma grande família e hoje estamos projetando um futuro vencedor para os próximos 50 anos, destacou Kny. "Está será a mais moderna indústria de fermentados do Brasil, pois permitirá saborizações em linha. Serão 80 mil quilos em mistura ao mesmo tempo", completou.

Além de ampliação da área física em mais nove mil metros quadrados, a nova fábrica terá uma nova estrutura de equipamentos. Com isso, será modernizada a fermentação de iogurtes, a produção de doces de frutas e a recepção do leite, bem como a produção de requeijão e doce de leite. Tudo isso com investimentos que somam R$ 85 milhões, a partir de financiamentos do Badesul, BRDE e Banrisul.

Representando o governador José Ivo Sartori, o Secretário de Desenvolvimento Rural, Tarcísio Minetto destacou a importância do cooperativismo para o Rio Grande do Sul. Segundo Minetto, o sistema cooperativo faturou R$ 36 bilhões em 2016, o que representou 11% do PIB gaúcho. "Na dificuldade, o cooperativismo se apresenta cada vez melhor no campo do desenvolvimento social", sublinhou o secretário. Tarcísio Minetto também destacou a importância da nova fábrica para a competitividade comercial. "Com produtos com qualidade diferenciada, a Piá vai ampliar a sua capacidade de competir no mercado nacional", afirmou Minetto.

A modernização do parque industrial permitirá que a Piá tenha os mais altos níveis de segurança alimentar, diminuição do custo de fabricação e, por consequência, um aumento da capacidade comercial em mercados como Santa Catarina, Paraná e São Paulo. “Com maior capacidade de produção, estaremos garantindo a compra de toda a produção dos cooperados para os próximos anos, inclusive com perspectiva de aumentarmos significativamente o volume”, garantiu Gilberto Kny. “Com o foco prioritário na fabricação de fermentados, poderemos garantir um melhor preço ao produtor”, complementou o presidente da Piá.

Na área ambiental os ganhos estão relacionados ao menor consumo de recursos naturais, como água e energia elétrica, já que os equipamentos adquiridos possuem uma maior eficiência. Com isso, haverá uma menor geração de efluentes.

Para o consumidor, as vantagens da nova fábrica estão diretamente vinculadas a uma melhor rastreabilidade e segurança alimentar. Todos os processos envolvem uma maior segurança operacional, pois há pouco contato humano com o produto, ou seja, uma menor chance de erro. 

O leite sempre foi o carro-chefe da Piá desde o início da produção, em 1972, quando eram processados dois mil litros de leite por dia, até chegar aos dias de hoje, quando o volume diário ultrapassa os 600 mil litros. A partir da década de 1980, a cooperativa passou a fabricar iogurtes, e hoje se consolidou como a marca de lácteos mais lembrada e preferida no Rio Grande do Sul, conforme apontam pelo menos duas pesquisas realizadas em 2016. É nesta onda que a Piá pretende surfar a partir de agora, vendendo produtos de maior valor agregado e com maior competitividade frente aos seus concorrentes.

Fonte: Assessoria de Comunicação Piá

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que mais te agrada no Site Ciência do Leite?

11.8%
52.9%
5.9%
5.9%
23.5%