23/03/2017 às 10h55min - Atualizada em 23/03/2017 às 10h55min

Os incríveis benefícios do famoso iogurte Skyr

Sónia Marcelo e Andréia Guerreiro

 
 

 

Já é conhecido como o super produto da alimentação saudável e até esgota antes de chegar às prateleiras dos supermercados. Sim, estamos a falar do iogurte Skyr— uma receita islandesa com mais de 1100 anos e que terá sido criada pelos vikings.

“O Skyr é feito com leite magro pasteurizado ao qual se juntam bactérias como a streptococcus e a lactobacillus e uma enzima chamada renina”, diz à NiT Sónia Marcelo, nutricionista e autora do blogue “Dicas de uma dietista”.

Desta mistura é apenas aproveitada a parte sólida. Isso faz com que a sua textura seja mais densa e nutritiva. Aliás, para fazer um iogurte Skyr é necessário quatro vezes mais leite do que para um normal.

Este produto tem entre 13,3 a 17,9 gramas de proteína, em versões naturais ou com fruta, sendo que o iogurte tem 150 gramas. “Isto equivale a 3,5 mais proteína que o iogurte comum e no caso do grego, mais 2,5”. E ainda fornece 20 por cento da necessidade diária de cálcio.

Entre os vários benefícios do Skyr, destacam-se os valores quase nulos de gordura, o aumento de absorção de cálcio, minerais e vitaminas, e o facto de diminuir o risco de osteoporose, devido ao elevado teor de cálcio.

Além disso, melhora a microflora no intestino e o trânsito intestinal e reduz a atividade da bactéria helicobacter pylori — que causa infeções no estômago. Ainda possui um efeito probiótico. Isto é, “estimula o crescimento das bactérias responsáveis por inibirem a atividade de outras bactérias intoxicantes e perigosas”.

Mas há mais: diminui o risco de cancro de cólon, estimula o sistema imunitário e diminui os níveis de colesterol.

Para não andar a correr de um lado para o outro nos corredores do supermercado, a NiT tem a receita caseira do Skyr e de outros produtos láteos.

Os produtos lácteos tornaram-se protagonistas da alimentação saudável e surgem, cada vez mais, em variadas receitas. O Skyr, por exemplo, é uma receita islandesa criada pelos vikings com mais de 1100 anos e esgotam ainda antes de chegar às prateleiras dos frios. E como a NiT não quer que ande a fazer maratonas nos corredores dos supermercados à procura da última embalagem, temos as receitas de quatro novas tendências fit para fazer em casa.

Têm ótimos valores nutricionais, são pobres em gordura e alguns até melhoram o aparelho digestivo. “Estes produtos probióticos e prébioticos estão a tornar-se essenciais na nutrição, devido aos seus benefícios para a saúde”, diz à NiT a nutricionista Filipa Morgado.

A receita com um valor energético mais alto tem 70 calorias (por 100 gramas) e a mais baixa, 40 calorias. Já adivinhou de quem é que estamos a falar? Do Skyr, do leitelho, do leite fermentado e do quark, está claro.

Para variar e conseguir receitas originais, pode optar por juntar ao Skyr fruta, como mirtilos e framboesas, ou cereais, como a aveia. E também pode utilizar o queijo quark como substituto da maionese, por exemplo.

Ingredientes e materiais:

— Quatro litros de leite fresco magro;
— Três colheres de sopa de Skyr;
— Oito gotas de coalho líquido;
— Termómetro;
— Tacho de aço inoxidável;
— Coador de rede;
— Toalhas para cobrir;
— Pano grande e fino para filtrar.

Modo de preparação:

Aqueça o leite lentamente até atingir os 90 graus, mexendo constantemente para não queimar. Quando conseguir a temperatura pretendida, desligue o fogão e deixe o leite arrefecer até aos 50 graus. Nessa altura, misture num recipiente o Skyr (que contém as culturas de microorganismos necessárias para produzir mais Skyr) e junte duas colheres de sopa de leite morno (adicionadas uma de cada vez) até ficar homogéneo.

Adicione esta mistura ao restante leite morno e misture, mas sem tocar no fundo do tacho, para que os potenciais resíduos de sólidos do leite que ficaram no fundo não se misturem no leite. De seguida, adicione também o coalho e volte a mexer.

Depois, cubra o tacho duas ou três mantas, dependendo da temperatura ambiente, e deixe reservar entre 12 a 16 horas, até encontrar uma coalhada, ou seja, a parte branca da mistura que ficou reservada deve ficar sólida e separada de um líquido amarelado, o soro.

Se não alcançar esta aparência é porque houve algum erro durante o processo e deve repetir.

Corte a coalhada e coloque num coador coberto pelo pano fino. Depois, pressione com uma colher até retirar a maior parte do soro que ainda restou e deixe repousar durante duas horas.

Após este tempo, aperte e amarre o pano e deixe repousar no frigorífico durante algumas horas, suspenso e com um recipiente por baixo.

O resultado final deve ser um produto firme e relativamente seco nas bordas do pano, com uma consistência que fica entre o iogurte grego e o queijo creme.

Fonte: New in Town - NIT Alimentação Saudável

Data: 10 de março de 2017

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que mais te agrada no Site Ciência do Leite?

9.5%
43.5%
19.7%
10.9%
16.3%