03/01/2017 às 19h57min - Atualizada em 03/01/2017 às 19h57min

Retrospectiva 2016

O ano de 2016 foi um ano difícil, não somente pela conjuntura nacional, mas pela cadeia láctea que deu um nó. Tivemos altos, mas muitos altos, e de repente fomos para baixo, muito baixo, bruscamente, como se fosse uma montanha russa.

No ano de 2016 parece que os produtores ficaram desmotivados e saíram em massa da produção de leite. Venderam suas vacas, outros secaram, outros abateram e não repuseram o plantel. Também entramos no período de seca precocemente, o milho ficou caríssimo, enfim, um conjunto de situações que fez com que mesmo o Brasil com baixo consumo de lácteos por causa da crise profunda que vivenciamos ano passado, faltou leite e derivados.

Consequência... O valor do leite no campo subiu nas alturas, os queijos disparam de preço, mussarela chegou a R$ 25,00/kg, preços nunca antes visto. Praticamente quase todo território nacional tinha leite de R$ 1,50 a R$ 1,70 por litro.

Aconteceu que ao mesmo tempo que os produtores começaram a produzir mais leite, investiram em alimentos e plantel, o governo liberou leite em pó importado do Uruguai e da Argentina em cotas elevadíssimas. Jogou o valor do leite para baixo bruscamente, chegando a cair 20% de um mês para outro, em dois meses seguidos.

Assim, em um momento o preço do leite e seus derivados estava no alto, e de repente, sem que esperássemos,  vinha tudo abaixo novamente. Desta forma muitos produtores de leite faliram e muitos laticínios fecharam. Ficaram sem capital para investir. O milho não acompanhou esta baixa, aumentando ainda mais o desespero dos produtores.

Este ano houve uma queda expressiva no volume de leite captado, somente a região sul do país, mais precisamente o estado de Santa Catarina teve aumento real no volume de leite produzido. Os outros estados tiveram queda na produção.

Este ano de 2016, em virtude do exposto, deve ser um ano marcado para o esquecimento, ficando somente a lição de que nesta cadeia do leite, temos que encarar cada vez mais como empresários, termos capacidade de enfrentar as dificuldades não somente com trabalho braçal, mas com inteligência e gestão.

Apesar de tanta turbulência, desejamos um bom 2017 para todos!

Marco Antônio Cruvinel Lemos Couto - Equipe Técnica do Site Ciência do Leite

 

 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que mais te agrada no Site Ciência do Leite?

8.1%
44.6%
17.6%
12.2%
17.6%