09/11/2015 às 13h36min - Atualizada em 09/11/2015 às 13h36min

Lácteos com baixo teor de lactose

Marco Antônio Cruvinel de Lemos Couto

A lactose (galactose β-1,4 glucose) é um tipo de glicídio, açúcar presente no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose. Para ser absorvida, a lactose precisa ser hidrolisada no intestino. O leite humano contém de 6% a 8% e, o de vaca, de 4% a 6%. A lactose está presente apenas no leite de mamíferos. Até onde se sabe, a lactose não tem especial importância nutricional para adultos; no entanto, é a mais importante fonte de energia durante o primeiro ano de vida de um ser humano, fornecendo quase metade da necessidade energética total em crianças.

LACTASE

A lactase é encontrada mais abundantemente no jejuno (a porção do intestino delgado compreendida entre o duodeno e o íleo); sua função é, especificamente, hidrolisar ou “quebrar” a lactose. A capacidade do sistema em degradar a lactose depende da quantidade de lactase presente no intestino delgado e de sua atividade relativa.

INTOLERÂNCIA

A intolerância à lactose é a incapacidade de digerir a lactose (açúcar do leite) devido à ausência ou quantidade insuficiente de enzimas digestivas. A intolerância à lactose pode ser adquirida ou ter fundamento genético. A adquirida ocorre quando a pessoa consome leite na infância e depois fica muito tempo sem consumir o produto novamente. “O organismo considera que se não se está ingerindo leite, não é necessário produzir a lactase. Um estudo analisou a prevalência mundial de má digestão de lactose, a qual está acima de 50% na América do Sul, África e Ásia, atingindo quase 100% em alguns países asiáticos. Nos Estados Unidos, a prevalência é de 15% entre os brancos, 53% entre os mexicanos e 80% na população negra. Na Europa, varia em cerca de 2% na Escandinávia.

No geral, cerca de dois terços da população mundial adulta não apresentam prevalência de lactase. Algumas pessoas após muito tempo sem tomar leite, perdem a capacidade de produzir essa enzima. No caso da intolerância genética, questões étnicas estão relacionadas. De acordo com pesquisas, no Brasil, 70% dos adultos tem algum grau de intolerância à lactose.

A população brasileira é formada por uma mistura de etnias e os bovinos só foram introduzidos no país no século XVI. Etnias mais puras, como a dos nórdicos, têm um teor muito baixo de intolerância à lactose, porque, culturalmente, eles consomem produtos lácteos em grande quantidade há muito mais tempo. Já os asiáticos, negros africanos e índios por não terem, inicialmente, a cultura de consumo de leite, são mais susceptíveis à intolerância à lactose. A deficiência primária ou ontogênica, que é o tipo mais comum na população, consiste numa tendência natural do organismo em diminuir a produção de lactase com o avançar da idade. Como já mencionado mais acima, tal fato é mais evidente em certas raças, como a negra, em relação a outras, como a branca.

QUEIJOS

Algumas das dicas para quem tem problema com digestão de lactose seria ingerir queijo maturado: queijos que depois de fabricados ficam um determinado período dentro de câmaras para que, dentre outras reações químicas, a lactose seja degradada pelos microrganismos. Os queijos Parmesão e Suíço são exemplos de queijos maturados que apresentam muito menos lactose se comparados ao queijo Minas Frescal.

NICHO DE MERCADO

Entre esses produtos podemos destacar os iogurtes, bebidas, queijos frescos e leites processados com baixos teores de lactose. Esse é um nicho de mercado em expansão, favorável para investimento das indústrias laticinistas (ROSA; RÉVILLION, 2011).

DO LIMÃO SE FAZ UMA LIMONADA.

Um ponto negativo dos produtos lácteos que é a lactose, foi transformado em sucesso mercadológico crescente. Embora alguns somente considerem os produtos com baixo teor de lactose como somente um pequeno nicho de mercado, algumas grandes empresas já mostraram que pode ser um negócio altamente rentável dentro do tradicional mercado de produtos lácteos. Venha participar você também do curso de produtos lácteos com baixo teor de lactose e saiba tudo este novo mercado que se abre para a indústria láctea brasileira, e melhor, totalmente acessível aos pequenos e médios laticínios. Mais uma vez, a Empresa Rica Nata e o Site Ciência do Leite se posicionam na vanguarda dos acontecimentos da indústria láctea do Brasil e do mundo!

Saudações Laticinistas

Marco Antônio Cruvinel de Lemos Couto - Diretor Administrativo

Rica Nata e Site Ciência do Leite

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que mais te agrada no Site Ciência do Leite?

11.8%
52.9%
5.9%
5.9%
23.5%