Bem Vindo ao Ciência do Leite
Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Menu


Pesquisar no site

Produto em destaque:
Fermento para Iogurte 20, 50, 100, 200, 500, 1.000 e 5.000 litros - YR02
R$ 1,75
Artigos (Leite de vaca)
05/08/2008
Leite pasteurizado
A pasteurização é empregada para garantir ao consumidor um leite seguro, isento de microrganismos que podem causar doenças no homem.

Pasteurização: consiste no tratamento térmico do leite a uma certa temperatura (71 a 75ºC), inferior ao ponto de ebulição, durante um determinado tempo e resfriá-lo imediatamente.

A pasteurização é suficiente não só para destruir os microrganismos patogênicos do leite, mas também a quase totalidade da flora bacteriana, com pequena modificação na estrutura físico-química do leite e nas suas propriedades organolépticas normais. Há dois processos de pasteurização mais comumente usados: pasteurização lenta e pasteurização rápida.

Pasteurização Lenta

Consiste no aquecimento do leite em tanque cilíndrico-vertical, de parede dupla, munido de agitador. Aquece-se o leite, com agitação constante, a 65º C e mantê-lo nessa temperatura por 30 minutos. O aquecimento é feito através de água quente circulando nas paredes duplas do aparelho. Em seguida resfria-se a 4 ? 5º C, através da circulação de água gelada nas paredes duplas do aparelho. Este tipo de pasteurização é utilizado somente por pequenas indústrias, pois se trata de um processo mais demorado.

Pasteurização Rápida

Consiste no aquecimento do leite em tanque cilíndrico-vertical, de parede dupla, munido de agitador. O aparelho utilizado consta de um conjunto de placas, todo em aço inoxidável. O leite é aquecido e resfriado circulando entre as placas, em camadas muito finas, em circuito fechado, ao abrigo de ar e da luz sob a pressão, à temperatura de aquecimento de 71 a 75ºC, durante 15 segundos e resfriado com água gelada a uma temperatura de 2 ? 3ºC.

Este processo apresenta as seguintes vantagens sobre a pasteurização lenta: controle e segurança do processo; mais eficaz; processo contínuo, com muita rapidez; maior volume de leite pasteurizado; processo automático de limpeza; economia de mão-de-obra; menor espaço para instalação e economia de energia pelo processo de regeneração no interior do aparelho. A pasteurização não é um processo para recuperar um leite de má qualidade, mas um tratamento para prolongar a conservação do leite, sem alterar suas propriedades organolépticas, físicas e nutritivas.

É também uma forma de proteger a saúde do consumidor, porque destrói os microrganismos transmissores de doenças, que por ventura existam no leite e aqueles que inferiorizam a qualidade dos produtos derivados do leite.

Os produtos fabricados com leite pasteurizado são mais uniformes, mais saborosos e de melhor conservação. Todo leite cru ou pasteurizado deve ser mantido resfriado, entre 2 e 5º C, para sua melhor conservação. Após esse tratamento térmico, o leite é resfriado a 5ºC e, em seguida, é embalado e estocado em câmaras refrigeradas.

Leites pasteurizados devem ser mantidos em refrigeradores durante todo o tempo: na indústria, no comércio e em casa; o transporte do leite do mercado ou padaria até em casa deve ser o mais rápido possível.

A refrigeração do leite é importante para evitar que ele estrague mais rapidamente, ou seja, antes de chegar ao fim do prazo de validade. A razão disso acontecer é porque existem bactérias que sobrevivem à pasteurização e que, apesar de não fazerem mal à saúde, podem estragar o produto.

O consumidor deve ficar atento para voltar o leite rapidamente à geladeira, também após o uso, porque quanto mais tempo o leite fica fora da geladeira, mais rápido ele azeda.

Os tipos de leite pasteurizado

Existem tipos diferentes de leite pasteurizado, classificados como tipo A, tipo B ou tipo C, de acordo com a forma em que o leite é obtido na fazenda. A principal diferença entre eles, é a quantidade de microorganismos presentes antes e depois da pasteurização.

O leite tipo A é obtido sob um controle mais rigoroso, pasteurizado e embalado na própria fazenda, contendo, portanto uma menor quantidade de microorganismos. Já o leite tipo B é transportado para a indústria onde é pasteurizado e embalado. O leite tipo C é aquele que também é pasteurizado e embalado na indústria, contendo, no entanto, um número maior de microorganismos. Além disso, o leite tipo C tem 3% de gordura, enquanto que os tipos A e B possuem quantidade de gordura superior.

As embalagens de leite pasteurizado

O leite pasteurizado pode ser encontrado em diferentes tipos de embalagem, como a garrafa plástica e a embalagem cartonada (caixinha de leite pasteurizado), porém, o ?saquinho plástico? é embalagem mais comum.

A conservação em geladeira

O leite pasteurizado deve ser sempre mantido em geladeira, qualquer que seja a embalagem, para que não azede. A caixinha de leite pasteurizado não pode ser confundida com a de leite longa vida, que pode ser mantido fora da geladeira.


Autor:

Referências bibliográficas:

Ir para todos os artigos

Produto em destaque:
Alizarol
R$ 7,00


Acesso
Usuário:
Senha:

Cadastre-se
Esqueceu sua senha?


Enquete
Gosta de ler notícias sobre leite e derivados de outros países?
Sim. Gosto de estar sempre atualizado.
Não. Prefiro só as nacionais.
De preferência da América Latina.
Notícias de todo Mundo Lácteo
Só notícias da língua portuguesa.

Portal Ciência do Leite | Todos os direitos reservados - 2014
cienciadoleite@cienciadoleite.com.br | (37) 3334-1618